O Medo do teste ao HIV

Tenho medo de fazer o teste por este poder dar resultado “Positivo”. São as palavras de um leitor que se dirigiu a mim por e-mail. Já tinha ido a um CAD, mas não teve coragem de se aproximar sequer da porta. Diz-me que o medo é tanto que fica paralisado na rua. Tem outro medo associado, que é o de não saber como irá reagir caso o teste dê “Positivo”.
Há menos de um ano, o meu filho, começou a sentir uma coceira terrível e recorreu a um especialista nos nossos hospitais na área da dermatologia, e depois de alguns testes para encontrar a causa dessa comichão, a médica (talvez porque estivesse em dia não) aventou a hipótese de ele poder estar infectado pelo HIV. Propus ir com ele a um CAD e que eu iria fazer também o teste.
No período de espera (ele foi atendido primeiro) ele estava apreensivo e eu perguntei-lhe se ele estava com medo de um resultado “Positivo”. Respondeu-me que claro que estava, pois a carga negativa de uma infecção pelo VIH é coisa séria. Mais apreensivo do que com medo. Ele viveu o drama da SIDA que encontrou em casa através de mim e desde o primeiro momento, sempre falei abertamente com os meus filhos sobre o assunto. Está bem informado, trabalha na área da SIDA e sabe de todos os inconvenientes da doença e foi ensinado desde o inicio da sua vida sexual de como evitar o vírus. Para abreviar o texto o resultado dele foi negativo, mas se o não fosse eu iria ter muito trabalho para por ordem naquela cabecinha.
Ele seria das pessoas que deveriam ter menos medo da infecção e mesmo assim estava receoso.
Nesse dia estava na sala de espera uma moça jovem, com quem não conversei. Nestes CADs as pessoas enquanto esperam se não tiverem acompanhantes ou encontrarem alguém que conheçam mantêm-se caladas como se ali não estivessem. Parecem estar numa de PAZ de cemitério, em que a tensão é muita e o desespero de não saber como vai ser mais logo quando souberem o resultado do teste.
É o esperar a sentença do juiz que o vai condenar á morte. O teste Positivo é a ordem de execução e a saída do centro é o passeio pelo corredor da morte que nos leva á cadeira eléctrica, á forca ou à câmara de gás. Eu devo confessar que tive essa sensação, e se lerem textos mais antigos no blogue poderão saber como foi.
Neste silêncio, eu passei a observar as reacções dessa moça. Mexia-se constantemente, roía as unhas, beliscava as suas mãos como a querer dizer para ela mesma que não estava ali.
Vim-me embora, depois de saber que o meu filho não estava infectado, o meu teste pedia outro teste de confirmação, que eu não fiz para não desperdiçar recursos que podiam ser necessários para outros, pois já sabia que estava infectado e apenas fiz o teste para aprender como são os testes rápidos e como as pessoas são atendidas e acompanhadas nestes centros de rasteio.
Acerca da moça, não sei se estaria infectada ou não, mas desejo do fundo do coração que o teste tivesse dado negativo.
Voltando ao inicio deste texto e do medo sentido pelo leitor que teve essa confidência comigo, cuja identidade não revelo. O medo existe, e como podes verificar não és o único a ter medo. Eu senti medo quando me propuseram fazer o teste. Eu estava internado num hospital e era quase obrigatório para mim fazer o teste para saber a causa da minha doença. Eu senti terror quando da maneira menos própria me deram a notícia (leiam este post).
Devemos ver os testes ao HIV, com a mesma simplicidade que vamos por o talão de lotaria na máquina para sabermos se temos o prémio ou não.
A grande e importante decisão que temos que fazer na vida é querermos saber se estamos infectados ou não. A única forma de o sabermos é fazendo o teste. Ele é o nosso bilhete de lotaria, só que aqui desejamos precisamente o contrário ou seja que o bilhete não tenha prémio.
Eu tenho a sorte invertida, jogo semanalmente na lotaria e nunca me saiu um prémio. A Primeira vez que joguei no teste o prémio (que não desejava) saiu e estou infectado. Hoje passados 11 anos, sou milionário em valores humanos, e em gente boa e maravilhosa que tenho conhecido. Tenho mais tempo para os outros e aprendi a gostar mais de mim e daqueles que amo. Tenho um objectivo e uma causa para lutar na vida. Afinal a SIDA não é tão ruim assim. A morte passou a ser para mim apenas o completar de um ciclo na vida. Quando ela quiser vir que venha mas faça marcação, pois posso não ter disponibilidade para a atender.
Voltando ao problema da coceira do meu filho a causa da mesma não foi identificada pela dermatologista. Uma amiga nossa, médica veterinária achou que era um fungo semelhante à sarna nos animais. Ele utilizou o medicamento usado nos animais, que é também aprovado para humanos e o mal desapareceu. O meu avô chamava aos veterinários os médicos dos burros e das vacas.
Não vou inverter a ordem das palavras para não pensarem em coisas como médicos burros ou vacas de médicas. Entretanto não posso deixar de expressar uma censura por na procura do diagnóstico (que não conseguiu identificar) se empurre para cima de um jovem o espectro do HIV, da maneira como ela o fez.

20 comentários:

Odele Souza disse...

É bastante compreensível esse medo de saber o resultado do exame. Uma loteria ao contrário. É muito importante o seu trabalho de apoio à pessoas que souberam há pouco que estão infectadas ou àquelas que estão tomando coragem para receber a notícia.

Imagino que pra você deva ser cansativo e a carga emocional dos outros sobre você muito grande. Mas é lindo o que você faz. Considero um privilégio para mim conhecer a sua história e divulgar o seu trabalho.

Fique bem. Um abraço.

Fatyly disse...

O MEDO é um componente do ser humano e sei porque vi tantas vezes essa ansiedade estampada em rostos e muitos deles podiam ser meus filhos que se tornam tão opacos. Acho que a nível hospitalar ainda há muito a fazer pela "humanização" no atendimento a doentes que aguardam testes e resultados de exames, sejam elas do HIV, cancro e outras doenças tão dificeis de suportar. O teu testemunho é e será sempre uma mais valia mas terás os tes momentos fracos e angustiantes onde a paciência fica no limiar do abismo.
Acompanhei os testemunhos e li o livro de Osório onde ele próprio falando na primeira e respondendo às perguntas do filho é grandioso.
Claro que algo que surja nos apoquenta, enveredamos sempre no "se" negativista e há que pôr mais optimismo, força e muita coragem.
Gostei e obrigada por mais este teu testemunho.

Beijos sinceros

Ferreira disse...

Medo de fazer o teste... quem não tem? Pessoalmente, por viver uma relação serodiscordante, tenho de ter estômago para o fazer com certa regularidade e independentemente de eu ter todos os cuidados que entendo serem necessários, é sempre muito complicado. Onde eu vivo não há cá CAD’s nem nada que se pareça e por isso tenho mesmo de ir a um laboratório privado. E então, se não fosse tão desagradável, eu diria que até seria cómico, porque conheço já todo o processo. Chego ao balcão e digo a que venho. Primeiro faz-se um minuto de silêncio e depois sou confrontado com o pedido do “papelinho do Sr. Doutor”. Não tenho - respondo eu - É particular. Depois a senhora diz-me que os marcadores anti-HIV são muito caros e nessa altura já metade do laboratório, incluindo os outros utentes, já sabem que está ali um potencial “sidoso”. E é assim que se fazem os testes anti-HIV nesta minha terra. Depois obviamente temos uma taxa muito baixa de seropositivos, mas quem é que se atreve a ir fazê-los? Só mesmo eu!
Tudo isto para dizer que mesmo assim continuo a fazer o teste com um desfasamento de cerca de 6 meses (tempo que eu entendo ser confortável para mim). Por vezes arranjo alguns esquemas, como alternar os laboratórios da região ou ir com uma amiga e ela também fazer o teste para parecer que estamos na fase do planeamento familiar. Quanto ao medo do veredicto final: é muito dificil esperar pelo resultado e essa sensação todos vocês a conhecem ou pelo menos imaginam. Mas eu penso que se o resultado for positivo, independentemente de fazer o teste, mais cedo ou mais tarde vou saber e possivelmente numa fase mais complicada. Por outro lado, se o resultado for negativo saio aos pulos e passo um dia muito feliz. Saúde a todos.

aDesenhar disse...

ru2x

já publiquei o desenho com alteração.
Preciso saber a tua opinião e se for necessário alterar um ou outro ponto.
É um tema que em termos de desenho, faço questão de ter o máximo cuidado, para não passar uma mensagem errada como deves compreender.

abraço

Murilo Battisti disse...

Realmente é impossível não se indignar com a atitude daquele médico... mas não tenho dúvidas que se ainda não pagou, irá pagar pelo que fez...

Com certeza poderemos trocar muitas idéias... Espero aprender muito com seu blog!

abraços

Murilo Battisti

Biby disse...

Olá!
Gostei particularmente de uma frase do post "A morte passou a ser para mim apenas o completar de um ciclo na vida". O tema da minha tese de mestrado é precisamente o confronto com a morte, mas no sentido do que fazer para lutar contra ela quando se sabe que se tem uma sentença de morte a pairar sobre a cabeça! Não deixar que a pessoa morra (psicológicmanete) antes da morte chegar. Quando tiver terminado (e se estiver interessado) tenho todo o gosto em enviar uma cópia.

aDesenhar disse...

Ru2x
como não encontro o mail do Sidadania
faço o comentário aqui.
Já tinha mencionado no meu comentário anterior, para as possíveis alterações e por isso podes dar a tua ideia para complementar aquele desenho, desde que sejam possíveis, porque são feitas a 3 dimensões e só depois obtenho a imagem.
abraço

aDesenhar disse...

desculpa
mas só agora é que me apercebi que o teu mail estava na imagem de abertura.
assim não vale a pena publicar os dois comentários que fiz.
abraço

vegana disse...

Eu tenho uma teoria idiota mas que, contrariamente ao que o bom senso me aconselharia, me apetece expor:
Desde que o organismo nao manifeste qualquer doença não faço exames do hiv ou do que quer que seja porque se o fizer e aparecer lá qualquer problema é certo e sabido que o que antes não se manifestava vai passar a manifestar-se. Este é o típico caso em que defendo acérrimamente a ignorância.
A... desenhar tu és quem eu penso que és?

Odele Souza disse...

Como já comentei este post, vou deixar aqui agora minhas impressões sobre a aparência do blog: Está lindo!! Ru2x, que bom que os amigos estão se dispobilizando para te ajudar com o html, e que bom que você está aceitando ajuda. Está mesmo muito bonito o teu blog.

Um beijo.

Laurentina disse...

Olá ,
Brinquei contigo no blog amigo do Adesenhar, espero não te ter magoado, mas ja percebi pelo que fui lendo que és uma pessoa cheia de coragem portanto não vais ficar melindrado por uma tropelia...sabes é que me foge o pé para a "tourada"eheheheheheh.
Amei o teu blog, vou referência-lo no "O SOL POENTE".

Bom fim de semana
Beijão grande

Laurentina disse...

Era mesmo á tua procura que eu andava safardana...
Estas a provocar-me?!!
Olha "maputino" vai lá a casa que tens um miminho á tua espera.
Bom fim de semana
Beijão grande

Talita disse...

Realmente ....
o teste de HIV.... é uma sentença...
Ainda ñ fiz....
As sempre vai chegar na hora certa de fazer....

Mais um na multidão disse...

Estou passando por esse medo agora... Fico pensando que uma burrada pode mudar toda a minha vida. Estou com alguns sintomas da infecção aguda mas na vdd não sei se, realmente, esses sintomas não surgiram pelo medo de estar infectado com o vírus. Estou nessa situação há mais de 2 semanas e não vejo a hora desse pesadelo acabar, agendei uma consulta ao CTA mas fico em panico, e estou perdendo noites de sono, com a possibilidade de aparecer AMOSTRA REAGENTE para o teste. A minha sexualidade é um problema desde sempre, finjo ser alguém que não sou para os meus parentes e amigos. Essa vida dupla talvez tenha me aproximado mais do HIV. A perspectiva de conviver com o vírus pelo resto da vida é assustador, msm com todo o tratamento e a estimativa de vida para pessoas soropositivas. Não sei como contar aos meus pais e amigos caso o exame der positivo e vou ter que aprender e me aceitar... Talvez essa seja a lição mais difícil da minha vida. Já não choro mais, parece que as minhas lagrimas secaram...também não me vejo como o "coitadinho" que se contaminou, agora estou tentanto ( e é muito difícil) olhar como um erro que cometi que acarretou nessa consequencia que terei que conviver para sempre. Os meus sonhos e ambições no momento estão estacionados... pensei em trancar a faculdade, me isolar de tudo e todos... Na verdade, estou cheio de dúvidas, dúvidas e dúvidas... Como será a minha vida com o HIV?

joão firmino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cicinha Olivera disse...

Fiz o meu teste hoje, tive a cerca de 1 ano e meio, relações de risco, bastante risco por sinal, e a 1 ano e 4 meses estou morando com o meu namorado, eu queria ter feito o teste, antes de pararmos de usar camisinha, mas ele achou bobagem. E não fizemos, eu tenho mais medo por ele, eu passei por uma fase de solidão imensa, sem família sem ninguém, e foi nessa época, que eu saia e não media as consequências, tenho muito medo de uma daquelas saídas, ter dado muito errado.
Eu fiz por estar com suspeita de gastrite, nada haver, mas, como entre os sintomas da gastrite há o enjoou, e estou constantemente enjoada, e tenho quase certeza absoluta que não estou gravida, resolvi tbm fazer o beta, e pedi junto o HIV... E pedir não foi difícil, o difícil vai ser se der positivo! Eu acho que o meu mundo desmorona... Eu não vou continuar o meu namoro... Ele é sem igual para mim, não mereceria isso, mas eu iria concentrar todas as minhas energias para falar pra ele, pra que ele se cuidasse... Eu to morrendo de medo, ninguém sabe que fiz... Que Deus me dê mais esta oportunidade.

Cicinha Olivera disse...

Fiz o meu teste hoje, tive a cerca de 1 ano e meio, relações de risco, bastante risco por sinal, e a 1 ano e 4 meses estou morando com o meu namorado, eu queria ter feito o teste, antes de pararmos de usar camisinha, mas ele achou bobagem. E não fizemos, eu tenho mais medo por ele, eu passei por uma fase de solidão imensa, sem família sem ninguém, e foi nessa época, que eu saia e não media as consequências, tenho muito medo de uma daquelas saídas, ter dado muito errado.
Eu fiz por estar com suspeita de gastrite, nada haver, mas, como entre os sintomas da gastrite há o enjoou, e estou constantemente enjoada, e tenho quase certeza absoluta que não estou gravida, resolvi tbm fazer o beta, e pedi junto o HIV... E pedir não foi difícil, o difícil vai ser se der positivo! Eu acho que o meu mundo desmorona... Eu não vou continuar o meu namoro... Ele é sem igual para mim, não mereceria isso, mas eu iria concentrar todas as minhas energias para falar pra ele, pra que ele se cuidasse... Eu to morrendo de medo, ninguém sabe que fiz... Que Deus me dê mais esta oportunidade.

Cicinha Olivera disse...

Fiz o meu teste hoje, tive a cerca de 1 ano e meio, relações de risco, bastante risco por sinal, e a 1 ano e 4 meses estou morando com o meu namorado, eu queria ter feito o teste, antes de pararmos de usar camisinha, mas ele achou bobagem. E não fizemos, eu tenho mais medo por ele, eu passei por uma fase de solidão imensa, sem família sem ninguém, e foi nessa época, que eu saia e não media as consequências, tenho muito medo de uma daquelas saídas, ter dado muito errado.
Eu fiz por estar com suspeita de gastrite, nada haver, mas, como entre os sintomas da gastrite há o enjoou, e estou constantemente enjoada, e tenho quase certeza absoluta que não estou gravida, resolvi tbm fazer o beta, e pedi junto o HIV... E pedir não foi difícil, o difícil vai ser se der positivo! Eu acho que o meu mundo desmorona... Eu não vou continuar o meu namoro... Ele é sem igual para mim, não mereceria isso, mas eu iria concentrar todas as minhas energias para falar pra ele, pra que ele se cuidasse... Eu to morrendo de medo, ninguém sabe que fiz... Que Deus me dê mais esta oportunidade.

INVESTIMENTOS.COM disse...

ESTOU CRIANDO CORAGEM PARA FAZER O TESTE DE HIV NÃO TENHO SINTOMAS PORÉM JÁ TIVE RELAÇÕES DE RISCO, ESTOU ISOLADO DO MUNDO AMIGOS, FAMÍLIA, RELACIONAMENTOS TUDO POR TER MEDO DE ARRUMAR UM NAMORADO E ESTAR CONTAMINADO.
PEDI TODOS OS EXAMES DE DST PARA O MÉDICO MENOS O DE HIV VOU PROCURAR AJUDA PSICOLÓGICA POIS NÃO CONSIGO ME ABRIR COM AMIGOS OU CONHECIDOS.

Skene Osas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.