A Liberdade de Ser Feliz


A faculdade de uma pessoa poder dispor de si, fazendo ou deixando de fazer por seu livre arbítrio qualquer coisa, traduz o conceito de liberdade, à qual todos temos pleno direito, no decurso da nossa vida. A liberdade individual é a garantia que qualquer cidadão possui de não ser impedido de exercer e usufruir dos seus direitos, excepto em casos previstos por lei.

A liberdade é frequentemente ameaçada pelos condicionalismos que fazem parte da nossa vivência, que podem limitar o exercicio da sua aplicabilidade prática e restringir o seu aproveitamento.

O diagnóstico VIH positivo vem por em causa o conceito de liberdade e alterar toda a sua essência. O novo infectado sente-se privado da sua habitual liberdade em inúmeras vertentes, na medida em que, aprisionado a uma patologia incurável, estigmatizada pela sociedade na qual está inserido e considerada ainda como uma doença de grupos de risco, a liberdade de expressão é confinada à barreira da pele, estando reunidas as condições para o acorrentar permanente do corpo e da mente, onde o isolamento e a solidão, proliferam de fora para dentro, rumo à exaustão.

Viver com o VIH caracteriza-se pela conquista das portas que se vão abrindo e que foram fechadas no dia do diagnóstico, todas ao mesmo tempo, sem excepção. Aos poucos, o novo infectado começa a aperceber-se que na sua vivência, a rotina sofreu alterações, mas a sua vida não mudou naquilo que pode ser permanente, na conquista dos seus objectivos, na realização do seus sonhos, na possibilidade de ser feliz.

O seropositivo não é classificado clinicamente como doente. É portador de uma infecção, que pode provocar doença, pelo que, existem terapias eficazes, que visam por tempo indeterminado, a manutenção do controle do vírus e a preservação do sistema imunitário, contribuindo para a qualidade de vida em termos de saúde fisica e psíquica.

A liberdade conquista-se pelo bem-estar com que presenteamos todos os dias da nossa existência. É em nós, que devemos instituir o direito e o dever de sermos livres, nos nossos actos, na nossa conduta, nas nossas ambições, nos nossos sonhos.

Ser livre consiste em ser feliz acrescentando à felicidade a liberdade do seu alcance permanente. Ser livre consiste em sentir nos nossos passos, o sabor de uma existência plena e com sentido. Ser livre consiste em caminhar sempre, amparando também a dor e as adversidades da vida. Ser livre é nunca desistir de viver, no respeito permanente pela condição humana, onde, na singularidade do Eu, nos inserimos num todo, a sociedade em que vivemos.

22 comentários:

São disse...

O teu texto está muito bom, em particular o último parágrafo!
Liberdade total talvez não exista, não. Mas devemos construir e viver toda quanta conseguirmos, sem nos alienarmos do Outro.
Um abraço bem grande.

navegadora disse...

Aprendo tanto contigo...obrigada pela partilha, pela coragem, pela força de viver. Cresço quando por cá passo.

Um beijo e obrigada.

Fatyly disse...

Subscrevo na íntegra as tuas palavras sentidas porque todo o ser humano deveria ver e sentir-se livre e feliz no espaço que ocupa na sociedade.

tens uma frase fabulosa:"aprisionado a uma patologia incurável, estigmatizada pela sociedade" e não só os infectados, insiro os deficientes mentais e fisicos, insiro os cancerosos, insiro os homossexuais e lésbicas, insiro...insiro ...raios que os partam quem em vez de abraçar e aconchegar, despreza e expulsa quem foi apanhado na esquina da vida.

Sabes Paulo ao longo da vida tenho visto muita coisa e por vezes no melhor pano caí a nódoa...e aí sim, aprendem a ser mais humanos e apelam o que nunca deram e por vezes tarde demais.

A não descriminação no quer que seja deveria vir do berço, porque as crianças podem ser crueis nos seus comentários "num mundo que começam a descobrir" mas se fossem educadas, teríamos uma geração futura bem melhor!

Abraço-te(vos) com todo o respeito e liberdade que mereces(em)!

sideny disse...

paulo
Mesmo tendo uma patologia incuravel
temos o direito de sermos felizes.
acordamos todos os dias,mexemo-nos bem, no fundo ate estamos bons de saude.
portanto somos felizes,dentro dos possiveis.
livres tambem somos vamos onde queremos,e fazemos o que queremos acho eu.
paulo se feliz:))

ManDrag disse...

Salve! Paulo
Que poderei ainda acrescentar ao teu texto tão cmpleto e tão vivo?
Ser livre é querer viver!
O meu abraço, deste Coração de Dragão que se oferce à tua Alma inspirada.
Salutas!

Brancamar disse...

Paulo,

Ler-te é sempre entrar no mais profundo sentido da vida...
Realmente a feliciddae tem muito a ver com a liberdade interior com que nos presenteamos quando aprendemos um pouco a conhecer-nos e a trilhar um caminho que é nosso.
E isso é absolutamente independente de qualquer doença ou fase menos boa da nossa vida.
Não é o ser portador de HIV que aprisona a alma e a feliciddae de ninguém, mas sim a falta dessa liberdade de que falas e que pode existir em qualquer pessoa sem qualquer tipo de problema físico ou outro.
E agora pergunto, quem será mais doente? Aquele que não tendo aparentemente nada que o impeça vive limitado por muros interiores ou aquele que mesmo doente ou diferente aprendeu a ganhar asas para sonhar e viver...?!
Parabéns Paulo porque sinto que tu já atingiste um estádio de liberdade e felicidade muito avançados e isso conquista-se quando nos desprendemos das coisas mais comezinhas e banais e aprendemos a dar importância às pequenas grandes coisas e a darmo-nos em liberdade e de forma incondicional.
Beijinhos de muita amizade para ti.

Paulo disse...

São,

A liberdade total está em nós, se a soubermos conquistar, não deixando de cumprir as regras que regulam a sua utilização.

Libertar amarras e viver sempre.

Obrigado pela visita.

Um abraço enorme.

Paulo disse...

Navegadora,

Crescemos todos em conjunto, resultado do que nos une, a solidariedade implicita na amizade que todos os dias construimos.

Obrigado pela visita.

Deixo-te um beijo.

Paulo disse...

Fatyly

Concordo plenamente com o que dizes, a tua experiência de vida está bem latente nas tuas contestações.

De berço sim, tens toda a razão, o que revela também que Portugal nasce, cresce e morre sem berço, pois a mentalidade das pessoas ainda é bastante discriminatória e estigmatizante perante tudo o que é diferente, independentemente até, do que é pior ou do que é melhor.

Retribuo-te o abraço com amizade.

Paulo disse...

Sideny

Tens razão, temos todas essas possibilidades. A questão é que nem sempre a nossa mente permite avançar em linha recta, sem olhar para trás, sem contornos.

Feliz, sim... tu também... :))

Beijoka

Paulo disse...

ManDrag

Livre sim, onde a Alma acrescenta à vida o sabor da sua existência.
Desprovido de barreiras, de obstáculos és livre com a força do alcance do infinito permanente, onde tu és tu, avidamente.

Abraço[-te]

Paulo disse...

Branca

Ganhar asas, voar e viver todos os momentos que dispomos, sempre com a mesma convicção, determinados a que a felicidade seja uma consequência da liberdade a que nos propomos desmesuradamente.

Soltar amarras, todas, sem excepção, olhar em frente, por todos os motivos.

Beijinhos com amizade, sempre.

f@ disse...

Pois... a cabecinha das pessoas...!!!! há mtos doentes que nem se mexem mem se levantam todas as manhãs...
não pode a liberdade ser afectada ou infectada por nada... mto menos por se estar menos bem de saúde...
Paulo é como dizes ... tal e qual.. ou melhor é asas no que tu dizes...
beijinhos das nuvens

Silvia Madureira disse...

Paulo:

Obrigada pela tua amizade!

Tenho uma enorme estima por vocês e todos aqueles que sofrem de doenças crónicas!

Eu gostava de ser como vocês...

Na vida pode acontecer qualquer imprevisto em qualquer momento...por isso devemos valorizar as coisas mais importantes de vida...e não dar valor à mesquinez...

A vida é curta, seja para um doente, seja para o jovem que teve um acidente ou para o jovem que foi morto num tiroteio...como tal vamos tentar dar importência ao que tem importância...

Será que somos capazes?

Força!

Beijo

Maria Dias disse...

O preconceito nas pessoas faz com q o portador do HIV se sinta mais e mais encurralado.Ou seja, aprisionado.Neste caso, o preconceito a princípio pode partir do próprio infectado q depois de digerir a situação, passa a olhar a sua vida com outros olhos
e perceber q enquanto há vida existe a esperança...

Um grande abraço Paulo,

Maria

Paulo disse...

F@

"não pode a liberdade ser afectada ou infectada por nada..."

Tens toda a razão. É esta a mensagem que pretendo transmitir com este post.

Beijinho nas nuvens.

Paulo disse...

Silvia

Sim, atribuir importância ao que de facto tem importância e viver, viver sempre, todos os momentos, como se fossem os últimos.

Retribuo-te a amizade, com um beijo enorme e agradeço a tua visita e dedicação.

Paulo disse...

Maria Dias

Obrigado pela tua visita.

Em ti, um exemplo, de que o preconceito não condiciona, nem determina seja o que for na vida das pessoas, pois não existe numa mente sã.

Um beijo enormíssimo para ti.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
A felicidade é algo que compete a cada um de nós construir à medida que se conquista espaço de liberdade e de reconhecimento como seres humanos iguais e diferentes mas com os mesmos direitos.
A discriminação é um atraso cultural que a evolução da humanidade terá que eliminar para que se efective.
O problema maior não está no conflito social dos grupos que se discriminam mas nos interesses económicos dos poderosos que necessitam que a discriminação não morra para que o seu poder se exerça e multiplique.

Abraço

Paulo disse...

Lídia

A felicidade é também tê-la por aqui. :) Andava a estranhar a sua ausência.

Obrigado pelo comentário, complemento ao meu texto.

Um abraço apertado.

ManDrag disse...

Salve! Paulo
Ser livre é ser senhor de si próprio; é autoconhecer-se, na consciência dos seus limites e das suas qualidades.
Ser livre é também aceitar desafios; como o que aqui exerço de te estar comentando sob um ataque de ansiedade, devido à minha SP.
Ser livre é condição necessária para se ser feliz. Pois tanto uma como outra são emoções vividas bem no âmago das nossas almas.
Ser livre é estender os braços ao mundo e abraçar o outro. E voar juntos!
Eu tenho Asas de Dragão, tu tens Asas de Anjo. Voemos ambos, pela Liberdade de toda Humanidade!
Que todos os Céus se derramem em Bençãos sobre ti.
Salutas!

isabel mendes ferreira disse...

passei.


para um beijo. especial.