Vacina HIV - O bem mais desejado


Perto de quarenta milhões de pessoas infectadas em todo o mundo, cerca de 7 mil novas infecções diárias e mais de 25 milhões de mortes, são argumentos de peso, para que haja uma concertação global com vista a travar o alastramento da SIDA.
Enquanto a erradicação da doença não é possível através de um composto que consiga a cura, o mundo não pode ficar de braços cruzados e há uma necessidade do desenvolvimento de uma vacina que possa evitar novas infecções.
Os cientistas vão encontrando pontos a favor que lhes dão indicações de que tal é possível, e no que diz respeito ao VIS (Vírus da imunodeficiência em Símios) já existe uma vacina que funciona. A ética não permite que se desenvolvam vacinas baseadas nestes resultados com macacos experimentando-as em humanos, pois uma forma de vírus aparentemente inofensiva, poderia sofrer mutações que desenvolvessem a infecção em seres humanos.
Sabemos entretanto que muitas vacinas actualmente no mercado e que são comprovadamente eficientes contra diferentes doenças não tinham base científica e continuam sem ter, as quais provem que são eficazes. O seu uso deu-nos empiricamente esse conhecimento e elas são um bem para a humanidade, salvando milhões de vidas.
Não vai ser fácil, pois o HIV1 um tem 3 tipos de vírus conhecidos (M,N e O) e só o tipo M tem subtipos catalogados de A até D e de F a J, e uma vacina teria de ser eficaz para todos.
Quando em Setembro de 2007, a Merck interrompeu o seu programa Step de uma das mais promissoras vacinas até hoje desenvolvidas, muitos projectos que se estavam desenvolvendo, por arrasto caíram também. O desânimo fez-se sentir, mas não se pode parar pois sem uma vacina eficaz na prevenção a pandemia nunca poderá ser suprimida.
É necessário continuar a investir em todos os campos no que diz respeito à SIDA, quer seja na investigação de novas classes de antiretrovirais e outros menos tóxicos, quer nas vacinas, quer nos produtos método barreira como preservativos e microbicidas.
Mas afinal em que ponto estamos, para que finalmente haja uma vacina eficaz para o HIV e quando ela aparecerá?
A pergunta é difícil, mas há trabalho feito. O conhecimento adquirido com os sucessivos falhanços, permite novas aproximações por outros caminhos. Os suecos estão a desenvolver um tipo de vacina a ser tomado em várias doses com diferentes propósitos sendo um deles estimular o sistema imunitário a ter uma resposta rápida face à presença do HIV. Há quem diga em 2010, mas ninguém pode dizer ao certo. Havia até agora uma lacuna entre a ciência base feita nas universidades, e o seu desenvolvimento antes de se passarem aos testes em grande escala e se chegar à produção industrial. Um grupo europeu IAVI preenche actualmente esse vazio e tem um orçamento anual de 85 milhões de euros o que lhe poderá permitir fazer um trabalho válido. O melhor é que é uma organização sem fins lucrativos, e cujo objectivo de trabalho está concentrado na necessidade de uma vacina.
O meu cepticismo quanto a uma vacina e depois de ter ouvido a opinião de um prémio Nobel,
Rolf Zinkernagel numa conferência onde estive há cerca de dois anos atrás, e na qual ele dizia que não era nos próximos 10, 20 ou até 50 anos que iríamos ter uma vacina, mudou bastante. Uma longa conversa com Maité Suarez da IAVI e os pontos que posteriormente apresentou numa palestra, levam-me a pensar que estamos mais perto da vacina do que aquilo que esperamos.
Há actualmente indicadores que nos dizem que é possível desenvolver uma vacina eficaz para o HIV, no entanto o processo de desenvolvimento de qualquer fármaco é moroso e com muitos obstáculos de ordem ética pela frente mas certamente ela poderá aparecer de um momento para o outro. Não tenho disponíveis de momento os anos de investigação para o desenvolvimento de vacinas actualmente existentes para outras doenças, mas estou certo que a vacina anti HIV não baterá recordes de morosidade em relação às existentes. Fica a esperança em aberto.

37 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
Fica a esperança em aberto com a consciência de que não se está à espera de algo improvável.
Pelas pesquisas que faço relativamente a esta matéria e, embora pouco entendida no assunto e com algum distanciamento na medida em que é diferente sermos solidários com a causa do que a sentirmos na pele, tenho uma convicção muito forte de que no curto prazo teremos desenvolvimentos da ciência altamente promissores no combate ao HIV.
Abraço

sideny disse...

raul
Eu acho que a vacina ja esta mais proximo do que pensamos.
continuamos a ter esperanca.
agora o que eu acho que esta muito real e quadro no principio do post
muito bom:)
parabens
beijocas

Paulo disse...

Raul

Quando nos conhecemos e assim que me apercebi do teu amplo conhecimento dos tratamentos para o VIH, pela participação activa que tens tido ao longo destes 12 anos em congressos dedicados ao tema, lembro-me que me apressei a perguntar-te:

- Para quando a vacina?

Lembro-me que me referiste de imediato a opinião de Rolf Zinkernagel, que me deixou bastante decepcionado.

Hoje, passado não muito tempo sobre a nossa conversa, a perspectiva sofreu alterações.

Tenho esperança e no fundo, sei que tu também. :)

Deixo-te um abraço, sábio amigo.

f@ disse...

Olá Raul... como creio que já sabes o que penso sobre o assunto e sobre a esperança... não pode tardar mto + a vacina porque é urgente e já até os governos... embora em silêncio devem estar alarmados... e tem de dar solução ... andamento...
acho que posso agora brincar com os bonecos... nã é melhor não...

Outra coisa vê se tens um minuto para responder ao meu email...
beijinhos das nuvens

Fatyly disse...

Mais um fabuloso texto e acredito que a vacina para o HIV está mais próxima do que se julga.
A esperança está sempre em aberto e em breve será uma realidade.
Força!

Um sincero abraço

Biby disse...

olá!
A vacina tarda mas a esperança não deve nunca morrer...até lá a HAART cada vez mais potente (apesar da toxicidade elevada) permite um aumento da qualidade e quantidade de vida. Os inibidores da fusão e da integrase foram os utlimos a surgir...muitos outros estão em estudo...
Até lá força para todos!
Deixo um sorriso especial para o Paulo :)

São disse...

O texto interessou-me, claro.
Levei a foto para a usar.POsso?
Se não puder, agradeço que avisem, sim?
Um abraço.

São disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
São disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R. Rudoisxis disse...

Lidia
Tenho saudades tuas, é o que posso dizer-te,pois parece que não te vejo há séculos. Que importa sentir na pele que é superficial, quando sentes no coração,esta maldita doença.Quem nos dera que muitos sentissem como tu, pois certamente viveriamos num mundo menos acusador e estigmatizante.
Um comboio de beijos amiga.

R. Rudoisxis disse...

Sideny
A primeira parte da imagem eu gosto, quanto à segunda parte e certamente a mais realista não quero pensar nela tão cedo embora já tenha passado por essas imagens algumas vezes excluindo a última que não tenho pressa em a viver. Beijos

R. Rudoisxis disse...

Paulo
Às vezes os cientistas mais famosos, enganam-se embora a sua tese ainda permaneça de pé. A frase nunca digas nunca, parece aqui ser bem realista. O que me convenceu mais no discurso da Maité, foi sobre as vacinas existentes e que cientificamente até hoje ã sua eficácia não conseguiu ser provada excepto através do conhecimento empirico depois de serem usadas em larga escala.
Deixo-te um abraço "ignorante" amigo, pois esta palavra encaixa tão mal em ti como o sãbio em mim :)

R. Rudoisxis disse...

F@
Tive mesmo só um minuto para te enviar o email com o endereço, tão curto ele foi.Espero em breve ter mais tempo para nos encontrarmos, almoçarmos, conversarmos e eventualmente darmos uma voltinha pelas nuvens.Beijão

R. Rudoisxis disse...

Fatyly
Embora céptico não sou incrédulo.
Ninguém me garante no entanto que algo já descoberto e abandonado não fosse eficaz mesmo sem ser comprovado em testes laboratoriais.
Se isso aconteceu com outras vacinas porque não com a do HIV?
A carga negativa gerada por esta doença e os medos a que a classe cientifica não é alheia prejudicam em muito a investigação.Abraço

R. Rudoisxis disse...

Biby
A toxicidade das terapias Haart tende a diminuir, pelo menos nos compostos das classes existentes.
Precisamos de um booster eficiente e menos toxico que o Ritonavir e o panorama mudará certamente, assim como as despesas com os retrovirais o que permitirá uma maior abertura às novas classes de retrovirais.
Esse sorriso especial para o Paulo está a fazer-me invejinhas :)

R. Rudoisxis disse...

São
Usa a foto, que penso ter sido afanada pelo Paulo algures.
Tem mesmo sentido e eu também gostei imenso dela.Abraços

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
Por vezes a vida distancia-nos de nós mesmos; a carreira, as motivações que levam ao sucesso, as pessoas que amamos e que por vezes exigem que sejamos um determinado modelo-padrão e uma sociedade que nos esvazia com as suas futilidades.
Frequentemente, e para correspondermos a um sem-número de solicitações, secundarizamos os nossos potenciais de afectos e esquecemos as nossas capacidades humanas. Tu, o Paulo, a Sidney têm sido uma ajuda para mim neste meu percurso em que procuro ser mais que a futilidade que caracteriza todos aqueles que esquecem, ou que se abstraiem, dum outro mundo onde podem ser empenhados num outro tipo de construção bem mais gratificante.
Ao contribuirmos para ajudar alguém estamos a ajudar-nos a nós próprios colmatando lacunas e adquirindo forças redobradas.
Por tudo isso foi bom ter-vos conhecido e estou empenhada em convosco continuar.
Quanto a saudades... quero lembrar-te que o convite para o almoço contigo e com o Paulo ainda está de pé.
Beijos

Fatyly disse...

Raul
ao ler os comentários e as tuas respostas, ponho uma questão:

- podemos estar a par de muitos passos a nível da ciência, ir a vários colóquios e congrssos, etc, etc...mas quem te garante a ti que nos bastidores da "cadeia enorme de investigadores" não se continua a trabalhar em "algo já descoberto e abandonado(...)"?

Aconteceram com muitos casos no passado e tudo porque os cientistas/investigadores são teimosos, obstinados, dedicados e nunca, mas nunca desistem dos seus objectivos:)

Paulo disse...

Raul e Lídia,

Desculpem a intromissão... mas acho que desta vez quem ficou sem almoço fui mesmo eu.

Não faz mal... 84 kilos, são mesmo para reduzir.

Havemos então de combinar OS TRÊS...

Continuação de um bom debate.

Beijos e abraços

R. Rudoisxis disse...

Fatyly
É pertinente a tua questão, e tenho conhecimento de algumas moléculas abandonadas a nivel de investigação, foram estudadas de novo com o avançar do know-how sobre o virus.Quando iniciam um novo composto há centenas de formulas e só algumas passam até uma ser selecionada e desenvolvida,ninguém garantindo que foi a melhor escolha.
As universidades por vezes aproveitam algum trabalho feito e posto de parte,estudam-no e por vezes aparecem surpresas.O grande problema é que por vezes há falta de meios para continuarem.Será que a acção da IAVI irá colmatar essa quebra de investigação?
Assemelho o desenvolvimento dos medicamentos à corrida dos espermatozóides para fecundar um ovulo que vai dar origem a uma vida.
Quando vemos certos seres humanos autenticos monstros para a sociedade, que tiveram a sua origem nessa corrida,talvez possamos tirar a conclusão que o ovulo teve azar em ser fecundado pelo espermatozóide vencedor.
Um dia encontrarão o pé que calçará o sapato de vidro perdido por cinderella estou certo. Abraço

sideny disse...

Pois e o paulo ficou sem almoco.
agora eu nao querendo ser intrometida, mas tambem queria almocar com voces os tres.
pode ser?
estou tao magrinha :))
beijinhos

R. Rudoisxis disse...

Lidia e Paulo
Eu estou disponivel para o almoço ou jantar convosco.
Não dispenso a presença do Paulo, vestido a rigor no papel de "waiter" servindo-nos a refeição, já que ele almo9çar está fora de questão pois ele tá tão gordo tão gordo que se o compararmos com uma senhora bem conhecida nos meios das associações ligadas à SIDA, ela parece anoréxica ao pé dele.
Bjs. Lidia e um abraço ao goooordo :)

R. Rudoisxis disse...

Sideny
Não te esqueças de botar os ç (cedilhados) que fazem falta para evitar confusõeses :)
Proponho uma lipo aspiração ao Paulo e para ti uma lipo injecção.
Beijos :)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
O que é isso de malhar no Paulo? Eu achei-o muito bem como está. Também não posso falar muito porque engordei 10 quilos desde que deixei de ter patrão.
Mas o que conta é o encontro e nesse dia é para almoçar ou jantar como convém.
Fico à espera de sugestões concretas.

Beijos

sideny disse...

paulo lidia
o raul quer nos dar umas folhas de alface, acha que estamos gordos.
ainda nao me viu a mim.
quando me vir nao me deixa comer.


raul
nao tenho cedilhados neste computador e espanhol.
e o outro computador que e portugues pifou.
peco desculpa.
beijinhos

Cristina disse...

Olá Raul,

Vim retribuir a tua visita, e agradecer as tuas simpáticas palavras.

Gostei de conhecer o teu blog, em relação ao tema do HIV eu tenho esperança que a vacina está para breve.
Vou voltar sempre, pois gostei do que li.

Beijo e um feliz dia para ti

Cristina disse...

Aqui estou de novo... posso levar o teu Logo Esperança?

Bjs

R. Rudoisxis disse...

Olá Cristina
Ainda estou saboreando o algodão doce que me deste. Claro que podes usar o logo esperança no teu blog e nós sentimo-nos lisonjeados por essa tua atitude.
Quantos mais blogues divulgarem a causa do HIV que defendemos e aderirem a ela, mais a certeza teremos de que estamos a fazer um trabalho útil para a sociedade.Mesmo que possamos evitar nem que seja só uma só nova infecção ficaremos felizes.
Um beijo grande e volta sempre.

Odele Souza disse...

Raul,
Esperança. O que seria de nós sem ela? E não acho honestamente que seja uma utopia falar em vacina para o HIV para não muito longe de hoje. Esperança,
o que seria de nós sem ela...?

Abraço pra ti Raul.

R. Rudoisxis disse...

Odele
Pode ser mau com os sucessivos desaires perdermos a esperança, mas muito pior do que isso é não termos esperança.A vida no seu curso ensina-nos que temos de acreditar e sonhar para que algo se concretize.Nunca deixe de acreditar pois a solução da vida resume-se a isso. Um abraço

jorge vicente disse...

Raul,
eu tenho a certeza de que a vacina será encontrada. Se não for nos próximos anos, será um pouco mais tarde. Mas nunca com um prazo tão alargado como o diz o Prémio Nobel.

No entanto, eu acredito que há cura para tudo. A ciência convencional é que parte do pressuposto que milagres não existem.

Um abraço
Jorge

p.s.
não sei se concordas, mas mando-te este link:

http://www.healer.ch/po/sida.htm

mariam disse...

vai haver vacina, SIM.

até lá, muita força, coragem... e vontade de viver.

vc é um exemplo.Continue SEMPRE.
Grata por me ter "cruzado" consigo.

se me permite, vou levar o vosso logotipo lá para o meu cantinho, com a intenção de vos divulgar... posso?

bom fim-de-semana

um abraço outonal
um mimo
e um sorriso :)

mariam

Arnaldo Reis Trindade disse...

Torço para que essa vacina chegue a nós daqui uns 3 ou 5 anos e que mesmo com ela, as pessoas se concientizem de usar camisinha pois como todos nós sabemos, dos males de não se prevenir no sexo, o HIV é apenas mais um.

Abraços e desculpem a minha ausência

São disse...

Estou sem voz: no Brasil recusou-se a patente a um medicamento contra a Sida!!!
Sabiam?
Boa semana.

Tony Madureira disse...

Olá,

Aesperança é a ultima a morrer...

Aquele abraço solidário!

isabel mendes ferreira disse...

R.A.U.L.


_________________
_________________

um abraço.


apertado.

Mauricio disse...

Acredito que essa seja a POssivel CURA é algo relacionada a ela mas injetável!

http://miraclemineral.org/