A Fé dos Homosexuais



A nossa colaboradora e amiga Lídia, está promovendo um debate no Silêncio Culpado, sobre a homosexualidade, o qual recomendamos.

Achei oportuno publicar um texto do Teólogo e Escritor, Júlio Carrancho, amigo de longa data, sobre a homosexualidade e a igreja, face aos atropelos que esta faz a quem tem uma preferência sexual diferente.

Presentemente, existem três deuses competindo entre nós para obter a nossa adoração: Jeová, o Pai e Alá. Nenhum está preocupado com os homossexuais ou homossexualismo.
Senão, vejamos. Os gays estão constantemente aumentando em número à volta do mundo. A Igreja revela-se impotente para reduzir aquela população através da pregação do evangelho.
Aqueles três deuses também não conseguem baixar o índice de perversão entre a humanidade.
Consequentemente, a solução vai ser a destruição completa do planeta numa incineração total para resolver a crise.
Porém, põe-se aqui uma questão retórica importante para a qual chamo a sua atenção .
No meu livro em Inglês (ainda a publicar) com título “Let me explain the Bible” (Explicarei a Bíblia), tenho dois pequenos capítulos revelando a posição de Deus quanto a essa predisposição sexual que a igreja denomina “homossexualismo”.

Nela observo com bases bíblicas que o Deus cristão não considera a chamada perversão homossexual o maior pecado do mundo, e nem se preocupa com o assunto.
Acontece que – e esse é o ponto central do meu livro – de acordo com a teologia fundamentalista e ortodoxa da presente Igreja como um todo, houve no passado longínquo um instante quando Deus (e aqueles outros dois colegas) observou o aparecimento do PRIMEIRÍSSIMO homossexual neste mundo.
Ora, teria sido muitíssimo fácil eliminar o pervertido naquele instante e resolver a dita futura crise.
Deus deixou passar a ocasião por uma de duas razões: uma, o problema não era assim tão ofensivo, e duas, Deus revelou-se incompetente para o resolver.
Em termos de “teologia” um deus que falha para resolver um pequeno problema é um deus falhado e consequentemente, um deus que não merece o trono que ocupa [não se pode confiar em tais divindades].
Por isso, vamos admitir de uma vez para sempre estes dois pontos cruciais do assunto: um, o homossexualismo não é ofensivo aos olhos de Deus; e dois, a igreja não tem bases bíblicas para atacar quem escolhe ou nasce com características homossexuais.
Pecado maior do que o homossexualismo é a tendência que a Igreja demonstra em ATACAR quem nunca lhe fez qualquer mal, e nessa arrogância sinistra, revelar a sua incompetência para resolver seja que problema moral for.

Devido a essa terrível frustração moral, a dita Igreja cheia de rancor e ódio contra a sociedade que a protege e suporta economicamente, propõe-se pregar um evangelho extremamente NEGATIVO de completa destruição deste mundo pela chamada ira daqueles três deuses cúmplices.
Bem, nunca esqueçamos que a Igreja [Católica e/ou Protestante] vive a sua hipocrisia à custa da paz e tranquilidade que usufrui num mundo democrático, que foi alcançado pelas forças do bem, onde pode pregar os seus cínicos sermões contra tudo e todos debaixo de segurança social.
Ora, se aqueles deuses vão acabar com os céus e a terra é porque depois de DOIS MIL ANOS de evangelho, o INSUCESSO é total!
Deus falhou com o seu Cristo, é a conclusão lógica.
Amigos, a Bíblia deixa bem claro que os deuses, incluindo o do Cristianismo, não têm outra solução melhor, e nunca tiveram mesmo quando o problema do homossexualismo [ou outro] era um pequeno desacordo moral no mundo, senão INCINERAR tudo e todos [crianças inocentes, velhos desprotegidos e animais domésticos], depois de uma guerra monstruosa em Armagedão, e reconstruir os próprios céus e este planeta.
Vamos concordar com o seguinte: vá que Deus tivesse alguma [INJUSTA] razão para fazer uma nova terra, mas NOVOS CÉUS também?!!...
Que diabo aconteceu nos céus [PLURAL] – para onde foi Jesus e onde moram os santos e os anjos
(Hebreus 4:14) – para que seja necessário remodelá-los?
Vamos concordar aqui que Deus FALHOU já em vários projectos, e se Deus falhou no seu próprio habitat, meus caros amigos, temos aqui um deus dos cristão totalmente incapacitado para a obra!
Assim, com tão deprimente paisagem, acordemos que a IGREJA não serve senão para manter activa uma ELITE PARASITÁRIA de constritos conscritos que passam o tempo a atacar homossexuais e outros pecadores sem jamais resolverem qualquer crise por menor que seja.
Vamos acabar com a farsa, vamos? Corte-se TODO o apoio económico à Igreja!
Júlio Carrancho

24 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
Apesar das mentalidades retrógradas e conservadoras não fazerem sentido num mundo que terá, para evoluir, de caminhar no sentido do respeito, da abrangência e da aceitação, a verdade é que continuamos a ser fracturantes no reconhecimento de identidades que se diferenciam dos valores que nos foram inculdados pela socialização na família, na escola e nas sociedades em que estamos inseridos.
A igreja tem tido um papel de travão, naquilo que penso ser uma atitude de amor ao próximo aceitando as suas especificidades e diferenças, porquanto essas diferenças e especificiades não bulem nem agridem a nossa forma de estar na vida. Que importância tem para mim, a não ser quando estou envolvida emocionalmente, que as pessoas com que eu privo tenham esta orientação sexual ou aquela? Não pagam essas pessoas os seus impostos? Não têm bons sentimentos? Não têm um comportamento cívico respeitável? Como é que alguém que se diz cristão pode discriminar? Até porque dentro da própria igreja há também homossexualidade ainda que encapotada.
Relativamente a haver mais gays e lésbicas na época actual, não sei se será assim. Em civilizações mais antigas quando a homossexualidade não vinha associada ao conceito de pecado, era tida como existindo em número considerável.
Na época actual, pese embora a discriminação existente, começa a ser menos pesado o fardo de se ser diferente e as pessoas unem-se e reivindicam a mudança.
Cabe a cada um de nós contribuir para um novo olhar sobre esta e outras matérias.
Abraço

Silvia Madureira disse...

Olá:

Sou Cristã? Não sei. Não vou à missa já há bastante tempo porque sinto que não evoluo como ser humano quando lá vou. Deus me perdoe se o ofendo.

Algo aprendi, Deus perante a discórdia e confusão perante uma prostituta deu-lhe a mão...para espanto de todos.

Tenho a certeza que Deus se em vez de uma prostituta tivesse um homossexual defenderia-o do apredejamento.

Lembro daquela frase: "Quem nunca errou, atire a pedra!".

Deus acolhe todos os que sofrem...é isso que tento seguir e que tenho um bocadinho dentro de mim (nem um terço de Deus). Eu não sou perfeita como ele.

Deus fazia-nos reflectir e ver o quanto somos idiotas ao descriminar.

Quanto a religiões? Quero lá saber!

Beijinhos

RAUL disse...

Olá Lídia
Quanto a haver mais gays e lésbicas,actualmente também coloco as minhas dúvidas, excepto se considerarmos o aumento de população mundial. O que está acontecendo é que devido à mudança de mentalidades, e à cada vez maior aceitação pelas diferenças dos outros a homosexualidade é mais revelada actualmente.
A não aceitação pela sociedade e o medo da rejeição fazem com que muitos ditos heterossexuais, casados ou em umião de facto escondam a parte da preferência homossexual,a qual muitas vezes só é revelada quando acontecem escandalos públicos e aparecem escarrapachados nos meios de comunicação social. A bi-sexualidade,segundo alguns sexólogos está presente em todos os seres vivos incluindo os irracionais, sendo que está mais ou menos desenvolvida para a preferência por determinado género.
Muito pouco se fala sobre o assunto e a discriminação é muito mais acentuada quer pelos ditos homos ou hetero,que não a aceitam baseando-se no termo popular do ou é carne ou é peixe.
Estou acompanhando o teu debate e ainda não comentei lá, porque de momento a minha saúde não está famosa.Abraço Amigo

RAUL disse...

Silvia
Acho que ambos estamos em sintonia quanto a sabermos se somos ou não cristãos. O ficar bem na fotografia, as festas de casamentos, baptizados e funerais influênciam as pessoas a dizerem-se católicas ou não. Quanto ao episódio de Jesus e da prostituta e referires que ele defenderia um homossexual da mesma forma estou certo que sim. Há estudiosos que defendem que um dos apóstolos (Creio que Tiago)era homossexual enquanto outros dizem que era mulher. Importante e acima de tudo é que Jesus era um iluminado e homem de bem, sem entrarmos na polémica sobre a sua divindade e se era Deus ou não. Pena que os seus seguidores distorcessem por completo os seus ensinamentos praticando crimes contra a humanidade impunemente e continuando a praticá-los actualmente, embora de forma mais subtil. Um abraço

M.M.MENDONÇA disse...

É muito pertinente este debate sobre a homossexualidade. Na política vemos a Ferreira Leite a discriminar, os adversários de Barack Obama a utilizarem como trunfo o combate ao casamento de gays e lésbicas, o não ao Tratado de Lisboa ser argumentado pelos católicos como a necessidade de preservar os bons costumes. Vou seguir com todo o entusiasmo os textos da Lídia que conseguem sempre ir fundo e mexer com as nossas emoções.
Amigo Raul, o que é isso? Mande embora a saúde não famosa porque estamos aqui para escutar a sua palavra. Força homem.
Abraço

Coragem disse...

Eu creio em Deus.

Eu considero-me cristã.

Não concordo com a maior parte das teorias biblicas, nem com os homens que a interpretam.

E dai as várias religiões, cada qual a seu modo, vai aplicando as leis convenientes.


Acho que aos olhos do superior, todos somos iguais, não sendo as preferencias sexuais que nos vai destinguir.

A descriminação e/ou preconceito, é uma "filosofia", que dificilmente irei entender...

Um beijo Raul

RAUL disse...

Amigo Mendonça
Nem tudo é como a gente quer ou como a gente gosta.Ás vezes tentamos ir contra a ordem das coisas, mas a dor sobrepõe-se às intenções e temos de abrandar. Vaso ruim não quebra e aos bocadinhos vou fazendo a caminhada a que me propus.
O aproveitamento comum por parte dos politicos das fragilidades humanas e do seu sofrimento foi e sempre será o trampolim para os voos que almejam,para engrandecimento deles mesmos, portanto já não estranho absolutamente nada por muito bizarro que me pareça, qualquer atitude ou comportamento dos senhores do mundo.O calcanhar de Aquiles, o cabelo de Sansão são exemplos disso mesmo. Como diz o povo não é com vinagre que se apanham moscas.
Um abraço bem forte e gosto de o ver por cá.

RAUL disse...

Coragem
Eu pessoalmente não sei aquilo que sou. Acredito numa energia superior que controla os seres vivos e a maneira mais fácil de identificar essa força é chamar-lhe Deus. Não me identifico com a maior parte dos ensinamentos das religiões,mas são formulas milenares que ajudam cada ser humano a encontrar o seu rumo na vida. No entanto como seres inteligentes, acho que devemos ter o livre arbitrio e não podemos estar com medo de descobrir o nosso caminho só porque os cães vão mordendo as ovelhas para manterem o rebanho junto seguindo o destino que o pastor decidiu, e que poderá ser o matadouro.
Dificilmente entenderemos o preconceito e a discriminação, mas o certo é que existem.
Continua a ser como és e não mudes.
Se tiver alguma importancia para ti eu dizer, pelo pouco que ainda conheço de ti, que te considero um ser humano excepcional aqui ficam as palavras registadas.
Um beijo amigo e continua a distribuir a tua "Coragem" por todos nós.

Paulo disse...

Todos diferentes, todos iguais. Cada um, na sua privacidade, tem o direito de satisfazer as suas vontades, obtendo o prazer que lhe é devido, pelo gosto que o caracteriza.
Para mim a homosexualidade não é uma opção. É uma condição inacta que nasce com algumas pessoas, que, sem qualquer tipo de justificação, se sentem atraídas por pessoas do mesmo sexo.
Acima de tudo, são pessoas como as outras e tenho provas reais que existem muitas pessoas felizes no mundo homosexual, até porque, e porque vivem permanentemente e escondidas do que chamamos a sociedade tradicional aprendem a apurar o seu carácter. Na generalidade os homosexuais são pessoas com uma sensibilidade acrescida e com um enorme bom gosto, por tudo aquilo que é belo na vida.
A igreja... Enfim, palavras para quê... Enquanto a mesma não acompanhar a par e passo a evolução da sociedade, será um elemento que promoverá sempre a estagnação.
A homosexualidade, no entanto, sempre existiu e continuará a existir, para bem dos nossos pecados.
Um abraço

Fatyly disse...

Acho este texto de Júlio Carrancho um pouco tendencioso para não dizer enfadonho, porque "a farsa e apoio económico" não existe só na Igreja Católica. O aumento d nº.? se a população aumentou é óbvio que aumentaram, mas a meu ver é maior a sua "visibilidade", tal como os deficientes que eram escondidos a sete chaves.

Ainda há bem pouco tempo pensava-se que a homossexualidade era uma "doença" e a ciência veio a comprovar que nasce com a pessoa.
Existe dentro da própria Igreja Católica e referido pela Coragem, porque o celibato é ainda a maior farça de todos os séculos. Mas ainda pior o horror dos horrores: a pedófilia. Os padres e afins são homens e fazendo parte da humanidade por vezes apregoam o que não fazem. Mas é só dentro das Igrejas?????Amén:)

Agora também acrescentarei o seguinte, com todo o devido respeito:

Ninguém tem escrito na testa a sua vertente sexual.
Depois não se muda uma sociedade de um dia para o outro onde se vêm duas mulheres de mão dada não parece mal, se forem homens são...(não digo o nome prejorativo) embora ache que hoje seja muito mais aberta do que há 20/30 anos.
Conheço homossexuais e lésbicas que são absolutamente como eu, tu, ele, nós, vós , eles e alguém pergunta a alguém com quem se deita, o que fazem, com quem vivem????????
O que para mim está acima de tudo é a sua FELICIDADE e o seu pleno DIREITO DE LIBERDADE, e como casal deveriam usufruir de todas a regalias fiscais e sociais como todos nós, desde que descontem:)

Depois ao longo da minha vida deparei com casos ainda mais aberrantes: homens e mulheres defensores "de uma familia tradicional e séria" e escondiam o que nunca deveriam esconder.
Tenho uma amiga que casou, teve um filho (hoje com 30 anos) e uns anos depois ele assumiu a sua homossexualidade, o que a afectou grandemente, não pela sua vertente sexual mas por esconder, uma forma de traição. HOje estão todos bem e numa boa batendo as vidas p'ra frente.

Gostei deste momento de leitura e reflexão e deixo um abraço a todos sobretudo a todos e a todas que são infelizes por não poderem ou não conseguirem ser felizes na sua sexualidade.

Beijos

RAUL disse...

Paulo
Não concordo muito contigo, quando falas do apuramento do caracter devido à homossexualidade e sem querer entrar em polémicas acho que em muitos casos a não aceitação das suas preferências sexuais por uma parte da sociedade leva-os a desapurar o caracter. Cada caso é um caso e dependendo dos grupos em que se inserem por vezes leva-os a serem injustos com toda a sociedade da qual fazem parte pessoas que os respeitam e não os descriminam ou hostilizam.
Mas como nem todos têm a caracteristica de dar a outra face quando recebem uma bofetada compreendo perfeitamente esse comportamento.
Quanto ao resto estou em sintonia contigo. Um abraço

RAUL disse...

Fatyly
Fizeste-me rir quando te referes ao texto do Júlio como enfadonho. Ele foi meu professor de música há muitos anos e nas aulas de solfejo eu pensava o mesmo :)
De qualquer forma os livros e textos que escreve têm deitado por terra muitas doutrinas que interpretam a biblia à sua maneira.
Enfim, uma vida dedicada à teologia em que a revolta parece estar a emergir devido à iniquidade dos homens que dirigem os destinos das igrejas.
A nossa sociedade e os seus comportamentos não são estáticos e a evolução dessa sociedade face ás mudanças que todos os dias acontecem levam a uma harmonização que se deseja, assim haja homens e mulheres de boa vontade.É preciso cultivar a tolerância e a aceitação das diferenças se quisermos viver num mundo mais justo e consequentemente mais feliz.
Beijos

Paulo disse...

Raul
A sociedade leva os homossexuais a desapurarem o caracter para se protegerem e poderem viver sossegadamente. A sociedade desapura, enquanto que o homosexual apura, pois só desta forma é possível criar os meios necessários para atingir o fim a que se propôe: O de viver naturalmente, como qualquer outra pessoa.
Em Portugal é dificil ser gay, lésbica, velho, preto, cigano, seropositivo, deficiente... tudo porque existe o preconceito, o tal preconceito que estigmatiza e discrimina a cada dia que passa, sempre...
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
Estou a seguir este debate e deixa-me dizer-te que aplaudo de pé a forma como interpretas a homossexualidade. Conheci vários homossexuais ao longo da minha vida em que conheci muita gente nomeadamente a nível de trabalho.
Tive grandes amigos homossexuais. Pessoas inteiras com essa sensibilidade apurada de que me falas. Do ponto de vista emocional tenho alguma dificuldade em perceber os relacionamentos homo porque sou hetero, mas do ponto de vista humano encontrei pessoas excelentes, de gabarito acima da média e das quais irei falar no Silêncio.
Se por um lado abomino e luto contra todo e qualquer tipo de discriminação, mesmo nos casos em que a pessoa contribuiu para a formação da sua exclusão, no caso da homossexualidade considero uma aberração discriminarem-se pessoas só por terem uma orientação sexual diferente.Pior ainda quando a pessoa sente necessidade de esconder a sua condição que não tem nada de mal e é tão legítima como outra qualquer. Mas é através do diálogo e do esclarecimento que se encontra o caminho.
Um abraço

Maria Dias disse...

Oi Raul...

Bem fui criada na igreja católica(batizada fiz primeira comunhão e me casei na igreja depois batizei os filhos)mas nunca fui de ir as missas todos os domingos.Acontece que com o tempo venho questionando muitas coisas na igreja católica...Deus é um só.Mas percebo q a igreja Católica se confunde e tem preconceito o q abomino.Os evangélicos mais preconceituosos ainda.Tenho cada vez mais me afinado com o espiritismo(Kardec)que explica as injustiças da vida.Acredito em Deus sobre todas as formas.No Deus que rege todo o universo.No Deus da paz e que tem só uma língua a do amor.A igreja está falha...E antiquada.Infelizmente!

Abraços...

RAUL disse...

Olá Maria Dias
O ser humano na sua procura por uma vida para além da morte, desenvolve filosofias e religiões como um paliativo para a injustiça de tudo poder acabar com a morte fisica. Allan Kardec desenvolveu a sua doutrina e tem muitos seguidores que pensam ter encontrado a verdade acerca da continuidade de vida para além túmulo. Li alguns livros seus e participei em muitas sessões espíritas, contudo abruptamente deixei o espiritismo quando a medium do grupo que frequentava foi assassinada a tiro pelo marido o qual de seguida se tentou suicidar com um tiro na cabeça. Sobreviveu ficando cego e com mais umas mazelas.
Mexer com o oculto da nossa mente pode originar tragédias como esta que referi. Qual a certeza que temos de que as entidades que encarnam nos médiuns são reais?
É bom procurarmos o conhecimento dos mistérios da vida, contudo deveremos saber até onde podemos ir.
Os suicidios em massa comuns em Seitas que proliferam com mais intensidade nos EUA, são a prova disso, e essas pessoas certamente achavam que estavam certas na sua verdade.
A verdade e a paz interior existe dentro de cada um de nós e temos o livre arbitrio, para decidirmos por aquilo que achamos certo.
Um abraço carinhoso e gosto de a ver por cá.

Fatyly disse...

Oh pá Raul agora quem riu fui eu. Não tiro mérito algum ao Teólogo Júlio Carrancho e acredito no que dizes porque eu nunca li nada dele e com isto o Paulo aguçou-me a curiosidade e vou tentar ler alguma coisa (comprar não dá) mas já tenho quem me empreste:) mas se tudo for nesta "pasteleirasolvejada" oh meu amigo eu juro que adormeço.

Gostei de ler os comentários!

Um abraço

M. disse...

DEUS falhou, diz o Júlio Carrancho.. é uma afirmação forte e pretensiosa a ser afirmada por um ser humano. Mais o é misturar a Igreja no barulho quando ela não representa senão um veículo de informação ao longo dos séculos, infelizmente pelo caminho foi governada por mãos erradas e foram cometidos imensos erros. Mas DEUS não falhou. Lembro-me bem do futuro da Humanidade ter sido colocado nas mãos dos Homens porque eles assim o quiseram. E foi-lhes dada a total liberdade. Supondo que em tantos cenários já o Homem se armou em deus, de livre escolha e vontade na manipulação da inteligência que lhe foi dada,não faz sentido culpar Deus por absolutamente nada. Tal como não o faz alguém pensar ou imaginar sequer qual é o “olhar” que Deus tem sobre os homossexuais. É certo que a Igreja desconhece a realidade humana e espiritual em que vivem os homossexuais e as lésbicas, esquece-se que o sentimento que ali reina é o Amor, igual para todos e que Amar nunca pode ser considerado um pecado. Sim a Igreja esquece-se disto,ainda presa em séculos de ignorância, de interpretações erradas ou convenientes das Sagradas Escrituras. Mas creio que a comunidade homossexual já alcançou um passo gigantesco ao conciliarem a sua Fé com a sua condição de vida e com tal alcançarem a plenitude de uma vida feliz. É uma questão, como em tudo, de atingir um estado de maturação psicológica e espiritual e para tal tem igualmente de renunciar ao mito ou obsessão de se sentir diferente e a um desejo quase doentio de que a sociedade afirme claramente que são aceites. Porque as diferenças existem desde sempre, nas raças, nas classes sociais, nas doenças crónicas e tantos outros aspectos dos seres que os fazem sentir diferentes porque a sociedade assim os olha. Os homossexuais, independentemente da Igreja ou d sociedade devem sobretudo mentalizar-se da sua integridade, do seu direito a um lugar no Universo, de ser amado e de praticar livremente a sua Fé e a sua busca interior sem influências exteriores que o façam sentir-se oprimido. Prosseguir um caminho no qual Deus nunca cessou de proclamar a liberdade do Homem e um amor igual para todos. E as palavras de Cristo iluminam-se algures “O meu reino não é deste mundo”(Jn.18:36). E no mundo d’Ele, não há exclusão.


mil perdões pelo tamanho do reply

Beijinhos

Arnaldo Reis Trindade disse...

Complicado comentar seguindo a idéia de cada um de vocês, estou a cerca de 4 horas lendo postagens e comentários em diversos blogs,sites de notícias, e acabo misturando tudo na minha cabeça, acho que a homosexualidade deveria ser repeitada, afinal temos o direito de sentir preazer como quizermos desde que respeitemos aos ooutros, entre quatro paredes não há etiquertas, e se estamos sós com o(a) parceiro(a) temos que fazer o que nos faz sentir bem,o amor não escolher sexo, isso é visível, assim como o prazer também não.
Quanto a religião, acho que se a Bíblia é pra ser interpretada isso cabe a cada um,não a uma religião, padre,bispo ou monge, vemos que as atuais porém antigas religiões cristãs desrespeitam a maioria das suas principais leis e querem que seus fiéis as respeitem ao mesmo tempo que os forçam a desrespeita-las, o preconceito racial,religioso e sexual que vemos na grande maioria das Igrejas já nos mostram um exemplo disso.
Quanto a Jesus, acho ele um homem fantastico, não acredito na Divindade dele e acredito no que ele teria dito e nas boas ações dele, faço o possível pra ajudar os que posso e tomo cuidado também pra não ser enganado pelos que procuram ajuda mas que em muitas ds vezes são impostores.

Gostei do tema, vou passar no blog da Lídia agora.


Paulo e Raul, obrigado pelas visitas, obrigado por terem sentido a minha falta e descupem-me pela ausência, prometo recompensa-la quando puder.

Abraço amigos.

Paulo disse...

Arnaldo
Obrigado pelo teu comentário e pela tua visão tão clara acerca da homossexualidade e do papel da igreja neste contexto.
Sentimos sempre a tua falta. És um leitor que pretendemos fidelizado, sempre.
A amizade que nos úne é grande e interminável.
No entanto, deves lutar pelo teu trabalho e pelos teus estudos.
Estamos sempre aqui, para nos leres e até para tudo o que possas necessitar de nós.
Um abraço muito amigo.

RAUL disse...

M.
Gostei imenso do teu reply, e da maneira clara como expões o teu pensamento. Não foste longa ,longe disso e é importante que os pontos de vista de cada um sejam explanados convenientemente. Para mim a igreja é cada um de nós e o pecado é aquilo que sentimos em verdade e qualificamos como bom ou mau em nossa consciência.
O clero e os seus membros não são os representantes de Deus na terra,como se intitulam. Se Deus está em todo o lado e consequentemente dentro de cada um de nós não necessita de representantes.
Obrigado pela tua participação.

Odele Souza disse...

Li o texto, os comentário e me identifico muito com o que pensa Raul, sobre Deus e religião.

Um abraço.

ManDrag disse...

Salve!
Diverti-me imenso com o texto que subscrevo em todas as suas lúcidas ilações.
Se a inteligência não tiver sentido de humor, então melhor ser ignorante, pois nesse caso não será inteligência mas sim intelectualice estéril.
Salutas!

Mastigando cinzas disse...

Fui teu professor de música, mas já esqueceste tudo? O solfejo era de facto chatíssimo, mas imprescindível. Um abraço. Júlio.