Terapias Alternativas


Desde a antiguidade que sempre se utilizaram terapias alternativas às exercidas pela Medicina, visando uma melhor qualidade de vida e uma manutenção da patologia de que se sofre, na tentativa de fugir um pouco, ou obter alternativas, aos produtos químicos prescritos pelos médicos no decorrer da sua actividade, ou simplesmente na tentativa de reduzir os seus efeitos secundários ou colaterais.

A utilização das terapias alternativas são geralmente contestadas pela classe científica, na medida em que, se por um lado não está provada a sua acção benéfica sobre a saúde, por outro a sua utilização pode interagir com os compostos químicos a que estamos sujeitos, sendo mesmo até e por vezes contra indicadas, por anularem os efeitos benéficos dos medicamentos.

Também na infecção pelo VIH, especialmente nos países que não dispõem de medicação antiretroviral, se tem utilizado terapias alternativas, visando por um lado, a neutralização do efeito devastador do vírus e por outro, o fortalecimento do sistema imunitário, com vista a combater por si só a acção destruidora do vírus da imunodeficiência humana.

No que se refere às plantas medicinais, o chá verde tem demonstrado ter um papel importante no controlo da infecção, não se sabendo exactamente, quais as doses de ingestão diárias recomendadas, para que a sua acção seja eficaz e duradoura. Os médicos infecciologistas, não defendem nem incentivam a sua utilização, até porque o chá verde possue características que instigam o emagrecimento, o que numa pessoa infectada poderá não ser desejável, na medida em que, a infecção pelo VIH só por si, associada ao tratamento antiretroviral e a factores genéticos individuais da pessoa infectada, podem conduzir a um emagrecimento acentuado, que coloca em causa a manutenção de um corpo saudável, pondo em causa a sustentabilidade óssea e induzindo também uma diminuição da massa corporal.

Os suplementos vitamínicos constituem um contributo importante, mas a sua utilização prolongada pode criar habituação no organismo e este deixar de ir buscar aos alimentos que ingerimos, as vitaminas de que necessitamos para nos mantermos saudáveis, ou, pelo contrário, sermos sujeitos a doses vitamínicas superiores às que necessitamos diariamente.

Na infecção pelo VIH, o selénio encontra-se a ser estudado particularmente, sendo objecto de forte discussão, pois parece contribuir fortemente para o fortalecimento do sistema imunitário. No entanto, não estão definidas as doses diárias recomendáveis, quer para pessoas não infectadas, quer para pessoas infectadas.

Está provado que os antioxidantes são essenciais à saúde. O alho, planta hortense da família das liliáceas, é um antioxidante poderoso. No entanto, o seu intenso sabor, o seu forte odor, nem sempre é apreciado, além de que o seu consumo nem sempre é facilmente absorvido pelo aparelho digestivo.

Uma alimentação saudável, cumprindo as regras da pirâmide dos alimentos, constitui o primeiro passo a dar e a manter para toda a vida. Dar prioridade ao consumo dos vegetais, frutas e cereais, seguindo-se o consumo das carnes, aves, peixes, feijão, ovos e também leite, queijos e iogurtes. Moderação para o consumo de gorduras, óleos e doces.

Na infecção pelo VIH, a ingestão de proteínas é muito importante, para manter a massa muscular, ameaçada pelos factores já mencionados. A moderação no consumo de gorduras, óleos e doces é vital. Realço a acção dos doces, que enfraquecem o sistema imunitário e promovem o aparecimento da diabetes.

As terapias alternativas não estão regulamentadas mas continuarão a existir. O tratamento eficaz da SIDA assenta unicamente na terapia antiretroviral, sob pena e na ausência da mesma, de sucumbirmos perante a destruição total do sistema imunitário. As terapias alternativas deverão passar por uma alimentação saudável, pela prática de exercício fisico, pela desistência do consumo do tabaco e pelo consumo moderado de álcool. Nos portadores de hepatites víricas, o consumo de álcool é totalmente desaconselhado.

Viver em harmonia, paz interior, promovendo o maior número possível de momentos felizes, investindo na amizade, no amor, evitando o isolamento e a solidão, representam também terapias alternativas sustentadoras, até porque, uma parte importante da nossa terapia está dentro da nossa cabeça, onde a SIDA deve ser destruída em primeiro lugar.

16 comentários:

Coragem disse...

Nunca me seduziram as terapias alternativas, para mim não são crediveis. Mas isso é para mim, pois sei de pessoas que vivem à base de, e sentem-se maravilhosamente bem.

Aqui o Alentejo, é rico tudo o que brota da terra, dizem os mais antigos, que cada planta serve para qualquer coisa, é possivel!
Assim viviam e ainda vivem alguns, sem que exista a miséria, ou a correria aos médicos.

No entanto é sem duvida a melhor terapia alternativa, concordando em absoluto com o teu ultimo paragrafo.

Beijo sincero

Paulo disse...

Coragem
Enquanto escrevia este post, pensei no Alentejo... vais ver que se vivesse por aí, no seio de tantas terapias alternativas, talvez nem precisasse de comprimidos... :)
E com a tua amizade então, seria o primeiro caso de cura do VIH a ser apresentado ao Mundo...
Imagina eu, descalço, sentado no campo, a ingerir plantas milagrosas, e milhares de reporteres do mundo inteiro à minha volta, tentando obter em primeira mão, o rosto daquele a quem a Sida sucumbiu... :)
Tu, a meu lado dizendo: É preciso ter CORAGEM para aturar os paparazis... :)
Beijo Sincero deste puto xarila.

Odele Souza disse...

Paulo,

As terapias alternativas exercem grande atração em muitas pessoas, Quanto a mim já de tentei de tudo e mais um pouco com Flavia, nada funcionou e por isto não acredito 100% nessas terapias. Mas como cada caso é diferente do outro, pode ser exatamente por isto que as terapias alternativas funcionem para uns e outros não. Mas acho superválido para aqueles que acreditam.

Um abraço.

Paulo disse...

Odele
Provavelmente as terapias alternativas não resultarão. Poderão minimizar um ou outro aspecto, aliviar um ou outro sintoma, mas o problema principal mantém-se. Há que confiar em pleno na Medicina e naquilo que esta consegue resolver. No que ainda não consegue resolver, como por exemplo a cura para a SIDA, há que ter esperança e paciência para aguardar. Está a ser feito um esforço enorme por parte dos cientistas, para que a tão desejada cura possa vir a ser uma realidade tão brevemente quanto possível.
Um abraço.

RAUL disse...

À semelhança dos medicamentos,para quase tudo que se desenvolveram a partir de plantas e outros elementos existentes na natureza, existem produtos naturais que podem ser benéficos no tratamento do HIV. É possivel que exista mesmo algum elemento natural que erradique definitivamente o virus do corpo humano. Só falta descobri-lo e é aí que reside o grande problema.
Os medicamentos naturais, infelizmente hoje em dia têm por trás deles uma industria florescente que movimenta milhões de Euros e onde entra dinheiro e a procura de lucros entra a degradação dos valores que os mesmos possam ter.
Um dos perigos existentes, é a mistura de produtos naturais com produtos retrovirais fabricados pelo homem,os quais se tomados em simultaneo podem originar uma bomba quimica cujos efeitos podem ser desvastadores.
É bom que as pessoas que decidam tratar-se com produtos naturais, que até podem ser eficazes, ponham nas suas cabeças que têm de optar por uma das opções terapêuticas.
O desespero dos infectados e a procura de soluções alternativas,podem levar aqueles que se aventuram em tomar tudo o que lhes dizem ser bom para o HIV,a pagarem um alto preço por estas acções.
Que cada um decida o que é melhor para eles mas é preciso ter prudência ou caso contrário podem vir a arrepender-se e os danos provocados poderão ser irreparáveis.

amigona avó e a neta princesa disse...

Penso que a prudência é esssencial como diz o Raul e cada pessoa é um caso...sou aberta a terapias alternativas...nem sempre dão sucesso mas e as outras dão?!Esperemos com confiança que um dia destes o tal milagre aconteça...beijos, amigo...

Mary disse...

Paulo, meu querido
Que saudades tuas!... Os teus textos são transparentes e belos como os elementos harmónicos dum ambiente feliz.
Concordo com o Raul em relação às medicinas alternativas. Não podemos abrir mão da prudência. Os comportamentos duma vida natural e sadia são sempre benéficos e as virtudes das plantas e dos alimentos também mas não aconselharia ninguém a deixar um tratamento médico e seguir um outro "alternativo" à medicina e a tudo o que já foi descoberto e testado cientificamente.
Abraço daqueles apertadinho

Paulo disse...

Viva Raúl
Tens toda a razão. As pessoas quando padecem de algum mal, procuram todas as alternativas para o tentarem curar, ou se tal não for possível, para o tentarem remediar. A terapia retroviral é efectivamente a que se encontra testada e que tem demonstrado controlar a infecção, pelo que, não convém de modo algum associa-la a terapias à base de produtos naturais, que a poderão anular, deitando por terra todo o tratamento. Lembro-me do hipericão para tratar a depressão. Está provado que entra em conflito com a terapia retroviral. Nas pessoas seropositivas, é comum a existência da depressão, pelo que não convém de modo algum tentar tratá-la com produtos naturais.
Abraço

Paulo disse...

Amigona avó e a neta princesa
É necessária a maior prudência pelo que cada pessoa deve sempre solicitar ao seu médico assistente o devido acompanhamento sempre que não se sinta bem. Assim deve ser com toda a gente e mais ainda com aquelas pessoas que se encontram medicadas para a patologia que sofrem.
Beijos

Paulo disse...

Mary
Olha... nem sei que te diga... Tenho também muitas saudades tuas. Fico sem saber se estás bem... Procuro-te e não te encontro. Tenho passado no teu blog sempre na tentativa de te encontrar...
Não te ausentes demasiado, tá.
Um abraço total e sempre total, muito apertadinho também.

Maria Dias disse...

Oi Paulo...

Me desculpe entrar no seu blog sem ser convidada mas, vim pq vi o simbolo do teu blog e achei muito forte e corajoso.Gostaria de vir mais vezes para ler tudo com mais cuidado e tb gostaria de convidá-lo ao meu espaço.Não sou portadora mas respeito e estou atenta a tudo q se refere a SIDA(AIDS no Brasil)

Bonito e muito informativo seu blog!pARABÉNS!

Abraços

Maria

Robin Hood disse...

Paulo
Eu acredito nas virtudes das plantas e de medicamentos/terapias digamos que alternativos. Contudo só utilizaria e cuidadosamente e com toda a informação possível, em duas circunstâncias: ou para doenças menos graves ou para casos desesperados. De resto prefiro acreditar na nossa medicina e na investigação científica.
Abraço

Fatyly disse...

Paulo
li este teu post bem como os comentários.

Como o Raul diz muitos medicamentos são feitos com componentes de "plantas" mas misturar as alternativas com a convencional, será sempre uma bomba, excepto os médicos (porque já há imensos) trabalhem em conjunto com os da medecina alternativa.

Em Angola existiam velhos que tratavam um pouco de tudo com o que a natureza dava, um valor transmitido de geração para geração e a maior parte das plantas eu não fazia a ideia para que serviam, mas as pastas e mistelas "era segredo":)
Se fosse totalmente eficaz não havia o horror da época: sifilis e lepra e ver uma leprosaria era de partir o coração. Anos depois apareceu a vacina e foi irradicada, embora apareça casos esporádicos.
Também não deixou de haver cancro.

Julgo que no dia em que a medecina convencional der as mãos à medecina alternativa, muitos quimicos deixarão de ser ingeridos e muito já se fez no campo da sida, da fibrosequistíca, da...de...enfim...

Mas Paulo vou dizer-te um segredo: ainda hoje odeio chás e lá quando me davam as "purgas" para as lombrigas e outras "igas" eu fugiaaaaaaaaaa:)
Só tomo chá preto e quando estou mal disposta, acabadinho de tomar...sai tudo por onde entrou:)

Um abraço e acredito que a "nuvem negra" que abrange tanta gente passará em breve, porque devemos pensar sempre com esperança.

Paulo disse...

Maria Dias
Não tem nada que nos pedir desculpa. É com o maior gosto que a recebemos aqui. Aliás, gostaria que a partir de agora, que encontrou o Sidadania, nos visite regularmente, pois será sempre um grande prazer recebê-la. Fico muito contente por estar sempre atenta à causa da SIDA, à qual, ninguém está imune. De seguida passarei no seu blog para o conhecer, o qual, estou certo, fará parte dos blogues que visito todos os dias.
Mais uma vez, muito obrigado pela sua visita.
Abraço

Paulo disse...

Robin Hood
Se existem as terapias alternativas, estou certo que algum resultado terão. No meu caso e porque estou submetido a uma terapia antiretroviral permanente, não arrisco a utilizar essas terapias, com o receio de deitar por terra o sucesso do meu tratamento. Existem actualmente muitos medicamentos para tratar o VIH, no entanto, também existe a possibilidade de se esgotarem as alternativas existentes, caso a medicação falhe, ou por resistências criadas pelas mutações que o vírus vai sofrendo, quer por culpa de quem faz medicação, ou porque não a toma tal qual como prescrita, ou porque utiliza outros compostos que interferem com a sua acção.
Abraço

Paulo disse...

Fatyly
Que bom ver-te por aqui. Já tens o computador arranjado? Sabes, a informática cria uma dependência tal, que quando falha, ficamos quase sem nada. :)
Seria muito útil que a Medicina tradicional desse as mãos à Medicina alternativa, até porque, ambas têm o mesmo objectivo: O de tratar as pessoas.
Tal como tu, também não gosto nada de chá... Fico chalado de todo...
Obrigado pela tua mensagem de esperança... Quando a nuvem negra passar, milhões de pessoas no mundo inteiro poderão respirar de alivio.
Beijinho especial