Solidariedade



Uma imagem, vale mil palavras diz o povo. A imagem que ilustra este post da autoria da Isabel do blog Art & Design,um blog solidário agora em Rede com o Sidadania, ultrapassa sem dúvida essas mil palavras. O desespero, as dores, a máscara, as mãos estendidas procurando ajuda e a gravidez quem sabe trazendo ao mundo mais uma vítima inocente, são o retrato fiel da SIDA.
O “Sidadania” tem como objectivo Informar, Ensinar, Ajudar, Alertar, Prevenir e Desmistificar acerca desta pandemia,e de outras, pois acreditamos que nem só na SIDA está a dor. Acreditamos que a partilha das nossas dores ajuda-nos a aprender como se trabalha a dor, a viver intimamente com ela e passado algum tempo a deixarmos o nosso luto e começarmos a lutar.
Trabalhar a mente, pois uma mente sã ajudará na manutenção de um corpo saudável, é uma das áreas que privilegiamos. Queremos promover o convívio e a amizade entre iguais, mesmo com dores de origem diferentes, pois por muito fortes que sejam as nossas dores elas não poderão de maneira nenhuma ser um impedimento a que sejamos felizes. A solidão e o isolamento são os inimigos que teremos de derrotar, pois não os desejamos.
Um blogue sobre SIDA não é fácil de gerir. Há leitores que o lêem, mas são parcos em deixar comentários especialmente quando autenticados, pois o estigma que paira sobre a doença, faz com que pensem que a sua infecção poderá ser revelada isto para os que sofrem da doença. Outros não infectados ou que desconhecem o seu estado serológico, têm o receio que possam ser levantadas suspeições por o frequentarem e eventualmente ser rotulados como sidosos.
Felizmente há os corajosos, que são solidários com a causa e que participam activamente, reconhecendo um trabalho que pode ser útil a muitos, e dando-o a conhecer.
O sidadania está aberto a publicar textos de outras dores e de outros sofrimentos, como o já tem feito e continuará a fazer.
Estamos prontos para escrever textos sobre a sida para publicação noutros blogs, que possam levar a promover a prevenção e o conhecimento e desmistificação da doença, os quais queiram ajudar nesta nossa missão.
A arte e imagens que retratem a doença são essenciais nesta luta. É um dever de cada um de nós, alertar para esta calamidade, que já dizimou milhões de vidas.
Cuidar dos vivos e enterrar os mortos, a frase chave no terramoto de Lisboa de 1755, continua bem actual, no terramoto a nível mundial que é a SIDA. Vamos homenagear aqueles que morreram, vamos curar os feridos (infectados) ensinando-os a viver de novo, e vamos cuidar dos vivos (não infectados) para que não tropecem nos escombros e se possam ferir.
A si leitor/a cabe a decisão de fazer algo ou nada fazer. Lembrem-se entretanto que a SIDA pode bater à porta de todos sem data nem hora marcada.
A SIDA não tem rosto, nem é visível, mas existe. E porque a SIDA existe, é necessário estarmos unidos e cerrar fileiras para a combater.
Obrigado ao Art & Design e obrigado a todos os que nos visitam. Voltem Sempre...

20 comentários:

Isabel-F. disse...

Oi Ru2x,

Obrigada pelas tuas palavras em relação à imagem que fiz; foram deveras gratificantes; parece que consegui transmitir o essencial.

E não há nada para me agradeceres - foi com gosto que coloquei o post; pessoas como tu ensinam-nos a sermos melhores ... ; estou feliz por os nossos caminhos se terem cruzado.

um beijo

São disse...

Em primeiro lugar, o meu apoio...e em simultâneo os meus parabéns pela coragem.

Cheguei aqui através de Isabel F, pessoa que estimo e admiro muito tanto como ser humano como artsita de mérito sempre presente na solidariedade!

Retirei já a imagem que ilustra este post e tentarei colocá-la , com sua autorizaçã e a da autora, no post que dedicarei ao tema.

Nas mesmas condições colocarei na barra lateral a Picada Mortal, porque acho que é uma óptima imagem.

Além disso, se não se importa, já linkei este blog.

Fará o favor de me fazer saber no são se há algum inconveniente!

Tudo de bom para si!

Odele Souza disse...

Ru2x,
Já deixei um comentário lá no blog de Isabel, sobre o post que ela fez divulgando o Sidadania. No meu comentário eu disse a ela que esta solidariedade entre os blogs me fascina. É esta ação conjunta que nos faz mais fortes para enfrentarmos as dores que a vida às vezes, no jogo na cara, pois juntos somos mesmo poderosos.
Sua causa bem merece ser divulgada sem ressalvas, sem máscaras, sem véus mas de forma aberta, escancarada. É como você diz, A SIDA/AIDS pode acontecer a qualquer um. Melhor estar informado.
Um beijo.

amigona avó e a neta princesa disse...

Já cá tinha vindo através da Odele, agora é a Isabel F que guiou a minha mão. Só posso deixar um abraço de solidariedade...mais tarde irei colocar o seu nome nos meus sítios a visitar...bem-haja!

Zé Povinho disse...

Admiro a coragem e acho que a abordagem ao tema é feita de um modo suave mas bem eludidativo e informativo. Foi atra do blog da Isabel F. que aqui cheguei e li com real interesse os post's.
Se não achar inconveniente também gostava de colocar um link no meu blog, para o Sidadania.
Abraço do Zé

Fatyly disse...

Desculpa...não me referi à imagem.

sempre que comento é com a minha verdade, e sinceramente acho que sim, que ela representa "O desespero, as dores, a máscara, as mãos estendidas procurando ajuda e a gravidez quem sabe trazendo ao mundo mais uma vítima inocente, são o retrato fiel da SIDA."
Usada como "prevenção" digo-te que pouca gente iria olhá-la, porque não se olha para uma imagem que nos apavora. Assim sendo deveria ter mais cor realçando mais cada componente, mas jamais num cinzentismo tal como a moça do meio, que interpreto como "prazer".

Usada como significado, ou resultado de...não sei bem o que dizer.

A Isabel que me perdoe, o que disse foi longe, muito longe de que está um trabalho mal feito, JAMAIS, tem arte e sabedoria como ela já nos habitou em outros trabalhos...

mas apenas o meu sentir quando olho "uma obra de arte" sem perceber nada de arte.

Desculpa sim?

Boa noite e muita paz para que todos juntos, infectados ou não, depressivos ou não, com problemas familiares ou não possamos dar as mãos e gritar: VAMOS EM FRENTE.

Beijos

Mocho-Real disse...

Em Portugal, EUROPA Comunitária (!), ainda há imensas pessoas que pensam que a Sida se pode transmitir nas casas-de-banho, num copo mal lavado ou num beijo.
É, por isso, muito útil o testemunho avisado e consciente do problema, dado por quem tem a coragem de ajudar os outros assumindo a sua doença sem problemas.

Os meu cumprimentos e felicitações.
Jorge G.

Águas da Vida disse...

Achei o seu link no blog da amiga Isabel e achei que vale a pena deixar um comentario de apoio ao seu excelente trabalho nesse blog, divulgando o que todos deveriam saber.
Na minha humilde opiniao acho que nos dias de hoje ninguem morre mais do virus.
Big Kiss

peciscas disse...

Reproduzo aqui o comentário que acabo de deixar no espaço da Isabel:

Já conheço e já lá tenho ido.
Gente com esta qualidade, merece ser apoiada e incentivada.
São exemplos!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Primeiro que tudo os meus parabéns pelo excelente espaço.
A Isabel também merece todos os elogios que lhe são feitos.
Serei companheira assídua e estarei aqui para dar força a este trabalho excelente que está a ser feito. Vou linkar este sítio e promovê-lo dentro do possível.
Um abraço

Clemilde disse...

Oi!
Desculpe-me pela demora.Vim agradecer a sua visita e suas palavras de apoio. Parabéns pela sua coragem, felizmente voc~e está no caminho certo. A mente é tudo, virei ler com mais calma seu blog. Gostei muito.
Sua amiga solidária!
Um abraço.

rascunhos disse...

Cheguei aqui através da Isabel do Art& Design. Força nesta sua batalha e parabéns pelo Blog

Cpts

C Valente disse...

Saudações amigas

Saramar disse...

RU2X, soube so seu blog por intermédio da Odele e peço que aceite minhas reverências por sua coragem, por sua compaixão pelos outros e por sua atitude diante desta enfermidade.
Imagino que tão difícil quanto enfrentar a SIDA, seja conviver com a ignorância e o preconceito, doenças muitomais graves que acometem a sociedade.
Voltarei sempre pra ler suas belas mensagens de coragem e solidariedade.
Que Deus o (a) abençoe sempre.

beijos

aDesenhar disse...

... vale por mil palavras
e este magnífico trabalho da Isabel
é um bom exemplo.
...
redireccionas no fim do post, para mais uma triste notícia, como já disse no blog da Odele...
estou chocado.

abraço

Biby disse...

Olá!
Como já tinha dito desde a primeira vez que comentei este blog já há muito tenho o desejo de criar um blog sobre este tema!
Contudo a minha tese e o outro blog que já possuo não me premitiram para já dedicar-me a 100% a este projecto.
O meu blog é sobre casas de bonecas contudo acredito que quem o visita pode interessar-se por este tema por isso tomei a liberdade de colocar um link para o Sidadania!

Já agora uma sugestão: Para que pessoas estrangeiras possam ler este blog poderia colocar o "Babel fish" para traduzir para ingles!A tradução não é perfeita mas permite que se entenda o essencial!
Muita Força!Beijinhos

Biby

Lusófona disse...

Eu nunca escrevi nada sobre a sida no meu blog.... já está mais do que na hora...

Posso postar algumas informações dos vossos textos?

Beijos e feliz fim de semana

Odele Souza disse...

Ru2x,
Valiosa a tua dica para visitarem o blog de Flavia, onde INFELIZMENTE documento mais um caso de acidente com ralo de piscina, desta vez, FATAL. Obrigada por teu apoio para que meu alerta chegue ao maior número possível de pessoas.
Estou contente com o número de comentários registrados aqui no Sidadania Uauuuuu! Muito bom. Isto significa que teus leitores estão aumentando, que o Sidadania está tendo repercussão, o que é ótimo pois significa reconhecimento pelo teu trabalho que sempre achei muito competente. Além disso você é um querido.(No Brasil dizemos, você é um fofo).

Pra você, o meu abraço e o meu carinho.

Alexandra Caracol disse...

Parabéns pela coragem com que fala de um assunto tão sério e que ainda é tabu em alguns meios.

Durante muitos anos descriminei-me a mim própria por ter sido vítima de algo que é escondido pela sociedade.

Fui vítima de pedofilia e durante anos proibida de pedir ajuda ou falar do assunto e passei a minha infância, adolescência, juventude e parte de vida adulta carregando uma culpa que não me devia pertencer.

Hoje já não sinto culpa nem medo de falar. Estas situações de injustiça e que levam à rejeição social devem ser delatadas e por isso delato-as.

Ninguém se deveria sentir superior porque teve a sorte da desgraça não lhe bater à porta, mas antes deveríamos todos juntos encontrar formas de minimizar o sofrimento humano.

Bem-haja pelo seu contributo para ajudar pessoas que estão a sofrer.

Um abraço

Alexandra Caracol

Brancamar disse...

Já cá tinha vindo através da Isabel, não tive oportunidade de comentar porque foi uma visita tardia já a cair para o sono.
Agora estou a conhecer melhor o teu espaço,vou já fazer um linK no neu blog para não tornar a perdê-lo de vista.A Isabel tem uma arte fantástica e sempre a põe ao serviço da solidariedade e o seu texto é muito elucidativo.
Voltarei para falar sobre outros textos que aqui tem.
Um abraço.
Branca