Magreza extrema

Acontece por vezes recebermos das pessoas que conhecemos e com as quais comunicamos regularmente sinais de alerta acerca do nosso estado de saúde, sem que as mesmas se apercebam que os estão a dar. Por vezes encontro conhecidos que não vejo durante algum tempo e cumprimentamo-nos e uma das coisas que normalmente me perguntam é se estou doente pois estou mais magro. Eu controlo o meu peso regularmente e o mesmo mantém-se estável e daí eu estranhar, o reparo.
Se fosse um acontecimento esporádico, e de uma só pessoa eu até nem ligava, mas realmente começo a preocupar-me e a pensar que algo vai mal com o meu aspecto físico, se bem que a balança não minta e o meu peso seja quase constante com o passar dos anos.
Quando isso acontece, pergunto sempre aos mais próximos que convivem comigo diariamente se notam que eu esteja mais magro. A resposta é sempre que estou na mesma e ainda bem para não entrar em paranóia.
Se o meu peso é mais ou menos igual com ligeiras flutuações então o que é que está de errado? O que será que as pessoas vêm em mim que os mais próximos e eu próprio não conseguem ver?
Decidi investigar e cheguei à conclusão de que eles estão certos, não em relação ao peso mas em relação ao aspecto e à distribuição de gorduras. As minhas pernas ficaram mais finas, o meu rabo desapareceu completamente e o rosto tem um aspecto que vulgarmente chamamos de chupado.
Claro está, que sei a razão dessas mudanças, que foram acontecendo ao longo de anos de consumo de substâncias chamadas anti-retrovirais.
Não há muito a fazer a não ser uma interrupção temporária da medicação, até que os alertas do estado do sistema imunitário me obriguem a recomeçar de novo a medicação.
Contudo sei que mesmo interrompendo temporariamente a medicação os progressos levam anos a surtir efeito e isso não é uma solução. Usar os diversos tipos de máscaras com produtos químicos injectados debaixo da pele para esconder esse efeito é algo que considero anti natural e não estou disposto a fazê-lo, se bem os custos acabem por se tornar proibitivos pelo menos para a minha magra carteira.
Acima de tudo devo preocupar-me com uma alimentação racional e equilibrada, adicionar-lhe exercício físico controlado e sentir que estou bem.
Embora este problema possa ser sério para alguns doentes, que desesperam devido ás modificações do seu corpo, para mim tem apenas uma importância relativa. O dizer que não gosto de ser gordo e que faço dieta, cala a boca a muitos que respeitam a minha opção, mas de maneira nenhuma cala a minha revolta contra os medicamentos que tomo e são a causa dessa má distribuição de gordura e massa muscular.
Afinal este texto, que não deixa de ser um desabafo de um sidoso, que contraiu a doença por negligência e por pensar que a SIDA só acontece aos outros leva-me a fazer a seguinte pergunta: - Será que o crime que cometi contra mim mesmo, foi tão grave que mereça uma condenação perpétua?
As condenações muitas vezes poderão ter a sua dose de injustiça, mas realmente esta parece demais. Acreditando que o perpétuo só se aplica à parte terrena de uma vida, espero que pelo menos tenha tirado a lição de que actos irreflectidos por vezes podem sair-nos muito caros e que não devem ser repetidos em próximas etapas de uma vida eterna.

6 comentários:

Vegana farta de tanto queixume e tão pouca acção disse...

Ruru, como já te disse, perdes demasiado tempo com as causas da doença e em condenar-te por isso.Já está, já foram muitos anos com isso, segue em frente e parte para outra.
Estás mais magro sim, já te tinha dito numa foto que me enviaste, mas ficas melhor assim, se queres que te diga. Mas se estás tão preocupado com isso é fácil.Deixa de fumar que engordas em 3 tempos.Até lá, não te queixes

Manuela disse...

Bom, que grande confusão que vai para aí! Já misturas sentimentos de culpa com gordura e músculo...

Posso dar a minha opinião?

Há, de facto, uma “cara típica” para quem tem Sida. Mas tu tens, não tens? Então, terás de viver com a cara também. E por que será que a cara encovada (ou chupada, como dizes) te chateia, se estar vivo ao fim de 10 anos é uma vitória?

Não tenho conhecimentos técnicos suficientes para avaliar essa tua hesitação em interromper os tratamentos. Mas não será melhor seguir a máxima do povo de que em equipa vencedora não se mexe? Ou será que abandonar a medicação não é uma forma inconsciente de desistir ou, pelo menos, dizer que estás cansado? Não estou a dizer que é assim; estou só a fazer a pergunta e não é para responderes; é só para pensares...

Dizes que apanhaste a doença por negligência e sentes-te condenado. E a cola que aglutina estes dois conceitos é a culpa. E a culpa serve para quê?! Para nada. Só carrega o sistema.
Não te regozijas por estares aqui ao fim deste tempo? Não sentes que isso é mérito teu? O combate que tens todos os dias parece-te condenação ou força anímica?

Fizeste asneira, aguentaste a consequência, mas não vais arder no inferno durante toda a eternidade. A não ser que seja na tua própria cabeça...

O meu comentário está um bocado incoerente, mas foi o que se arranjou! Concordo com a Vegana: deixa-te disso... penas têm as galinhas e é uma chatice ter que as tirar para as fazer de churrasco!

Vegana disse...

Galinhas no churrasco? Bearchhhhhhhhhhhh.
Deixem lá estar as penas nas coitadinhas.
Hoje estou ao comemorar o primeiro dia de vegetarianismo da minha filha (a coitada comeu lasanha na escola, sem fazer a mínima ideia que aquilo tinha carne pq ela está habituada a comer lasanha de soja).

Em relação à interrupção da terapêutica, Manuela, os próprios médicos já a aconselham porque os retrovirais são mesmo muito tóxicos e o virus ganha resistência se falhares várias tomas, mas se deixares de tomar, de todo, dizem os médicos ,que o virus não ganha qq resistência, portanto as desvantagens em deixares a medicação são praticamente nulas(apenas tens que te readaptar de novo ao início dos retrovirais, se necessitares, com os efeitos físicos desagradáveis que isso provoca) e as vantagens são imensas.

Os meus grãozinhos estão a crescer :)))))))

alkapone disse...

Acho que a amiga Manuela ta falando um pouco ignorando caso como eu muitas vezes fazo que ja tenho isto desde 95 mas a culpa e sempre de 2 e nao so de mim do meu caso foi minha e de outra pessoa politicamente falando e quanto as penas na tenho pena de ninguem so de minha familia por um dia perderem alguem desta maneira , mas qual maneira? ate posso morrer electrocutado ou acidente soterrado ou a dar uma boa foda

Perú menor disse...

ru2x !
Já vi dezenas de pessoas conhecidas a morrerem primeiro que eu que já o sou a 12 anos. e todas por motivos diferetente. Ataques de coracao, atropelamentos, tiros,afogados,emfim...
QU tem mrrer de SIDA? Não se tem que morre de qualquer forma? Ou quers ficar para a posteridade? Se uma pessoa tem cancro nos pulmões é provavel que morra disso. Mas pode morrer atropelado por um avião que pensa que ali é um aeroporto quando afinal são obras do metro do Porto.
Eu não penso morrer de SIDA porque depois de ter sobrevivido a duas tuberculoses e na ultima me terem dado 24 horas de vida porque entrei com ataques de panico, septicemia, tuberculose pulmunar e pneumonia tudo ao mesmo tempo, e de ter que estar ligado a uma maquina que fazia com que eu repirasse durante 3 semanas, além de oxigénio e ter que fazer uma traqueotomia e ao fazerem isso terem-me furado os pulmões e terem que me colocar em coma porque eu só queria arrancar os 50 tubos que tinha ligado~desde a cabeça até aos pés.
Actualmente quase que já não se morre de sida na europa. Eu tomo apenas 2 remedios por dia ( Kaletra2 comp 2 x por dia e Reyataz que é para evitar doenças oportunistas como as que apanhei. Apenas tomava um por dia que já não me lembro qual era mas como falhava imensso o virus ganhou resistencia e atacou de novo. mas actualmenteo vírus pela 3º vez tornou-se indectetável e os cd4 a subir subir subir. Há que pensar positivo ja que somos positivos. Parabens pelo site. Pelo menos é uma coisa positiva no meio de tanto positivo.

Ru2x disse...

Olá Perú Menor
Não sei o porquê do menor, mas se calhar é para não seres comido no natal.
Realmente tens razão, eu também vi muita gente morrer primeiro do que eu e fui ao funeral de alguns e tenho a certeza de que eles não irão ao meu.
Eu por acaso até sou imortal e disso não tenhas dúvidas podemos até fazer uma aposta choruda e eu fico como fiel depositário dessa quantia que me virás cobrar se acontecer eu morrer.
Bem vindo ao Blog dos Sidosos,e força para seguir em frente.
Num mundo cheio de idiotas oportunistas,agora até as doenças tomam esta denominação para nos vencerem na vida. Um abraço Amigo e vai aparecendo.