Listas de espera para o Aborto (1 ano)

Como “Sidadão” e Cidadão responsável, a questão da despenalização do aborto não podia passar-me ao lado. Sou contra as mulheres serem julgadas e condenadas por voluntariamente se submeterem a uma intervenção cirúrgica com o fim de interromperem uma gravidez. Não me vou pronunciar, sobre conceitos morais, ou sobre os cartazes com títulos demagógicos como “Se já bate um coração”, e outros em placardes espalhados por tudo quanto é sitio nas nossas cidades, deixando isso á consciência de cada mulher que faça um aborto e á consciência económica ou religiosa de quem coloca e paga essa publicidade. Contudo toda esta paranóia, sobre o segundo referendo e o tempo de antena usado em televisão, na rádio e nos jornais e toda a energia e tempo despendido em algo que podia ser simplificado com a promulgação de uma lei que simplesmente dissesse que não era crime uma mulher ter interrompido a gravidez, e esse tempo de antena fosse utilizado em assuntos mais importantes como a falta de médicos, a falta de camas nos hospitais que faz com que muitos doentes fiquem em macas nos corredores, e as listas de espera para as cirurgias, muitas delas de caracter urgente.
Não sou contra a cirurgia para o aborto ser incluída no SNS, desde que não lhe dêem, prioridade sobre outras cirurgias importantes e urgentes.
Ou as listas de espera para cirurgia acabam no futuro, ou então vamos assistir em breve caso o “sim” vença, a algo caricato, como acontece actualmente ou seja muitos (familiares de...) doentes receberem cartas para uma intervenção cirúrgica cinco e mais anos após já terem falecido. Não deixa de ser cómico uma mulher candidata a um aborto receber uma carta do hospital a dizer que foi incluída num programa especial para combate ás listas de espera, para ir fazer o aborto passado um ano ou dois depois de se ter inscrito para a mesma.
Os jornais e meios de comunicação social, certamente encontraram uma fonte de noticias extraordinária caso os nossos serviços de saúde se mantenham como estão actualmente e já estou a visionar grandes títulos como “ O ministro da saúde congratula-se com a redução das listas de espera para o aborto que agora estão em nove meses” o texto continuará com o senhor ministro a dizer que se desconhece a causa mas que as mulheres portuguesas devem ter mudado as suas consciências acerca da interrupção voluntária da gravidez.
Em Fevereiro eu vou votar. Espero que os boletins de voto tenham, para além dos quadrados para o “Sim” e para o “Não” um terceiro quadrado para o “Nim” , pois caso o não tenham eu próprio me encarregarei de o fazer e marcar nele a minha cruz.
Sou a favor de que as mulheres não sejam criminalizadas por decidirem ter interrompido voluntariamente a gravidez.
Sou contra dar-se prioridade à cirurgia para o aborto em detrimento de outras cirurgias importantes e urgentes, no Serviço Nacional de Saúde.

10 comentários:

rui disse...

caro sidadão,

foi um prazer encontrar o seu blog.
Cheguei cá porque fiz uma pesquisa sobre o aborto, pois já estou saturado dos argumentos intelectualmente abortivos, tanto pelo não como pelo sim. Acho que o nim deveria mesmo existir.

Fiquei apenas chocado quando li no seu profile que raramente gosta de ouvir música. Ora isso preocupou-me. No Anacruses temos um consulotório de música onde os nossos especialistas poderão analisar o seu caso e fazer-lhe uma prescrição musical.

Se não der resultado sempre se diverte um pouco e o efeito do humor pode camuflar a falta de prazer musical.

um abraço

Ru2x disse...

Olá Rui, obrigado pela visita e especialmente pela oferta de uma consulta e prescrição musical.
De vez em quando mandam-me uma música ou outra que serve como remédio ao meu estado de espirito naquele momento. Ouço-a vezes sem conta e depois de curado só a volto a ouvir quando algo dentro de mim doi de novo.
Visitei o Anacruses e prometo lá voltar quando tiver mais tempo. A primeira impressão é fantabulosa, mas só o li na vertical :)
Um abraço

rui disse...

Vá aparecendo,
é sempre bem-vindo por aquelas bandas.
Eu tb vou passando por cá.
Abraço.

Deva disse...

Qual a hierarquia de cirurgias que achas que se impõe?
Isso relacionado com as listas de espera que mencionas, é o mesmo que dizeres que és contra a sua realização.

Ru2x disse...

Contra a realização do aborto? Deixo isso à consciência de quem o faça, no entanto acho que as mulheres que o fazem não deviam ser criminalizadas, julgadas e creio condenadas por o fazerem.
Sabendo o que a casa gasta e que não vão ser aumentados os recursos humanos e camas nos hospitais do serviço nacional de saúde,é com certa apreensão que vejo mais esta sobrecarga de trabalho.Supõe que queres fazer um aborto e que a tua gravidez tem 8 ou 9 semanas, que vai ser o mais comum. Tens de efectuar a cirurgia de imediato ou o prazo legal de 10 semanas expira.
Ainda existe a agravante de no teu processo clínico ficar registada a tua gravidez e caso venhas a fazer o aborto findo este prazo nos privados, vires a ser julgada por efectuares um aborto ilegal depois das dez semanas.
A coisa não vai ser tão fácil como á primeira vista parece e não me admiraria se ás administrações hospitalares e com intuitos economicistas fossem dadas instruções para adiarem as intervenções cirurgicas nessa área.
A não criminalização das mulheres que fazem aborto é um must, e já deveria estar em prática há muito mesmo sem referendo.Beijos

Ru2x disse...

Caro Rui
Já voltei ao Anacruses e tomei alguma medicina musical.Não sei qual a razão mas não consegui colocar um comentário para lá ficarem os meus "finger prints".Hoje foi um dos dias em que ouvi musica enviada por uma amiga, ontem também ouvi lá no consultório musical.Ponham lá música Retroviral para gajos sidosos como eu que estão fartos de retrovirais em comprimidos e precisam de terapia musical de vez em quando :)
Um abraço

alkapone disse...

Rux2 kuando essa musica retroviral sair diz algo pa , pois por aki ainda na sei nada e tou farto tb dos tremocos que tomo 2 vezes ao dia. Aproveito para te dizer mudei phone number caso tenhas ligado , para saberes que ta disconectado

Ru2x disse...

Pois a Americana da Telefónica aí dos States anunciou que o numero havia sido desconectado e eu presumi que já tinhas mudado de casa.Envia um mail para o sidadania com o novo numero para eu te chatear os miolos nas minhas noites de insónia em que é chato telefonar para os amigos de Portugal.Enfim vantagens de fuso horário :)
Um abraço

Anónimo disse...

Caro sidadão,

A questão que está a referendo é se as mulheres devem ou não ser condenadas por praticarem o aborto.
Aí estamos de acordo.
Em relação à outra questão que colocas "listas de esperas" ela não está a referendo.
Se o SIM ganhar obviamnete que irá haver regulamentação sobre isso.
Mas uma informação: Uma IVG demora em média 15 minutos e é feita em ambulatório, ou seja, não necessita de internamento.
Penso que não é correcto comparar a IVG com uma operação normal. Isso é um dos argumentos do Não para fugir à questão principal:
Devem as mulheres serem consideradas criminosas pela prática do Abroto?
Por isso espero que no dia 11 vàs votar pelo SIM e contribuas para que as mulheres possam livremente optar e que se acabe de vez com a praga do aborto clandestino em Portugal.

Ru2x disse...

Claro que não devem ser julgadas criminosas,penalizadas ou julgadas.
Nunca votaria não e isso é ponto assente,quanto ao resto se voto em branco ou sim vai depender de mais informação a obter baseada na razão e não em lobbies de qualquer das partes. Obrigado pela tua participação.