Diálogos sobre a essência




- Dizes-me o que sou e porque existo?


- Uma voz amargurada mas não derrotada, que não chora erros do passado reconhecendo-os não como fim mas o princípio de uma nova vida. Que mostra o caminho que percorreste e me avisa dos perigos dando-me liberdade de seguir o caminho que escolho pelo livre arbítrio.






- A voz que quando te encontra e se apercebe que seguiste o meu caminho, te encoraja a continuares a caminhada sozinho ou a meu lado se o desejares, incentivando-te a nunca desistires?

- E que me diz que existo como ser humano com fraquezas e coragem, com defeitos e virtudes. Que por ser “Sidadão” sou acima de tudo cidadão com direitos e deveres iguais aos das pessoas não infectadas.




- Não pretendo o glamour das luzes da ribalta onde as famosas estrelas se passeiam ouvindo as palmas de um público encandeado pelo brilho. Pretendo apenas ser o “Sidadania” , uma luz que mesmo ténue vai ajudando a mostrar o caminho da vihda sem pretensão senão a de evitar que outros tropecem, caiam e se magoem. A esta causa dou o que tenho.

- Mais do que isso não seria a tua essência nem a razão do teu existir.






- Então é natural que não seja entusiasta da moda de conquistar leitores pela visita a blogues cuja essência desconheço e se afasta muito dos meus objectivos, não significando que não acarinhe os autores e os seus trabalhos. Conquistar audiências com base no pressuposto “Eu comento-te, tu comentas-me”, não é o que sou, não é o Sidadania.





Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: vem por aqui!?
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

(José Régio)

8 comentários:

M. disse...

E como que por magia, quando as mil e umas interrogações se vão desvanecendo, se atinge a compreensão das coisas e a intimidade consigo próprio, o tufão que atormentou com um estrondo desaparece e amaina a tempestade. O verdadeiro encontra-se na vida e os passos que darão têm tanta eternidade como os grandes heróis.

Basta dar um passo e encontrar a rua. A casa tem a tabuleta em letras grandes e diz SIDADANIA. Dentro dela vivem os que há muito saíram para a vida e acolhem os que dela se julgam perdidos. As portas estão sempre abertas e enquanto existirem as casas e os homens, assim permanecerão

Alexa disse...

Raul!
Belas palavras que escreves-te
não conhecia este teu lado mais póetico
estou deslumbrada.As fotografias estão maravilhosas
e encaixam-se completamente no texto.
Obrigado por ao longo destes meses todos não me deixares submergir,nestas tempestades onde vivo.
Raul!

Fatyly disse...

Não te conheço pessoalmente e baseando-me apenas pelo que nos dás a ler, numa de entrega sem esperar retorno, numa de informação, divulgação, prevenção, ajuda para quemaqui procura conforto e informação sobre a armadilha que lhe toldou a forma de estar na vida e até quem procura "como lidar com pessoas portadoras...ai meu amigo, deixa-me dizer-te que tens feito uma missão nobre, muito nobre, cansativa mas imensamente nobre.
Só podemos ajudar os outros, quando de bem connosco próprios tentamos aprender e esta "porta aberta" tem sido uma mais valia mas desmistificar que o HIV não se pega por um
abraço que te dou, sincero e franco
beijo que te dou, sem quaisquer máscaras
dar de mãos em torno de uma causa.

A semana passada quando fui dar sangue divulguei os teus/vossos/nossos blogues e disse: passem a palavra, leiam e aprendam, ajudem no que poder para que "a porra da hipócrita discriminação" desapareça neste mundo cão.
Fiquei surpresa...alguns já conheciam embora não comentem ohhhhhhhhhhhh lolll

A essência está aqui, pela equipe maravilhosa destes grupos.

Beijocas e não desistam

sideny disse...

Raul


Belas fotos sim senhor.

Gostei.

E continua a divulgar sobre a doença porque bem precisa.
esclarecimentos sâo precisos,e as pessoas que vem aqui gostam de saber e aprender.

beijocas e tudo de bom

São disse...

Somos seres de Luz e existimos para caminhar para a perfeição.
Não é fácil, mas é possível.
Um abraço.

Anónimo disse...

o meu b.e.i.j.o.
Como o percebo.

inteligente o texto. sensível e profético.



obrigada.



.piano.

Isabel disse...

bom dia.


a re.ler.



e nunca indo por aí________antes cedendo aos dias como o vento que arrasta para bem mais longe.


assertivo o J.Régio para final.


beijo.

Matheus Luiggi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.