Testemunho de Cory Norlund

É pena que este testemunho de um infectado em lingua inglesa não esteja legendado em português, mas devido à sua importância para que se compreenda a vida de um infectado decidi trazê-lo ao blog. Demasiado longo dirão aqueles, que apressadamente passam pelo blog, tipo assinar o livro de ponto sem se preocuparem demasiadamente com a realidade do que é viver com o HIV.
Por motivos de saúde, e porque últimamente ando demasiado sensivel a tudo o que leio e me dizem, decidi ficar por uns tempos afastado do blog, sem entretanto deixar de publicar textos que nos sejam enviados, e esporádicamente colocar um ou outro artigo de interesse sobre o HIV.
Irei hibernar durante uns tempos, até me sentir bem. Procurarei durante este tempo conhecer-me melhor, para melhor poder entender os outros.
Um abraço e até quando calhar....
Raul


19 comentários:

peciscas disse...

Vamos sentir a tua falta, mas, pela minha parte, compreendo essa "hibernação".
Volta quando te sentires melhor, fisica e animicamente. Sabendo sempre que este pessoal te apoia e que está contigo.
Um abraço Raul.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
Quero-te recuperado e com aquela determinação e clareza de ideias capaz de revolucionar o mundo.

Abraço

pikenatonta disse...

Volta depressa...

Um beijinho ***

amigona avó e a neta princesa disse...

Meu querido Raul desejo que melhores rapidamente porque precisamos de te ter ao nosso lado...não faz mal andares sensível...beijocas, amigo...

Louise disse...

Raul
Tu sensível és o máximo. Por isso, meu herói, desde que não te prejudique a saúde espero por ti aqui.
Este post é impressionante mas, felizmente, já há sinais de mudança e convenço-me, cada vez mais, que num horizonte próximo certas questões não se coloquem. Os portadores de HIV além de serem pessoas como as outras refinam a sensibilidade e tornam-se uns queridos. Tu e o Paulo são disso exemplo.
Abraço

Isabel-F. disse...

Olá Raul,

É um testemunho que me impressionou e que gostei de ouvir ... realmente é uma pena que não esteja legendado em português ...

pelo seu interesse não o considerei longo ... não é de modo nenhum fastidioso ... não foi isso que senti ... no fundo quando achamos que algo é longo é porque nos fastia ... não atinge os objectivos propostos ... não é caso do testemunho que aqui colocas ...

quanto ao teu estado de espírito ... acredita que te compreendo bem ...

entendo bem que necessites de um afastamento ... mas espero que seja breve... fazes falta ...

beijinhos com amizade

Mary disse...

Raul
Compreendo-te tão bem, Raul, mas tão bem mesmo.Fazes falta, muita falta ao Sidadania. Aguardo esperançosa o teu regresso.
Abraço abraço

Odele Souza disse...

Raul,
Os poucos mais de 20 minutos que passamos diante deste post ouvindo o testemunho de Cory Norlund, não é um longo tempo se considerarmos a importância do que aqui ouvimos.

Quanto a ti meu amigo, te cuida. Estou certa de que muitos sentirão a tua falta. Eu, inclusive.

Então, "até quando calhar..."

Um beijo meu pra ti.

Paulo disse...

Raulito,
Aceito a tua decisão de retirada temporária, apesar de não entender claramente até que ponto isso será benéfico para ti. O Sidadania é o teu porto de abrigo... Mas, tu é que sabes... Cumpre-me respeitar a tua decisão.
Tens como objectivo poderes conhecer-te melhor, para melhor entenderes os outros... A meu ver, essa introspecção passa por te consciencializares que a vida não é nada fácil para ti e perceberes que, de igual modo, a vida também não é nada fácil para os outros... Refiro-me a mim e provavelmente a muitos leitores do Sidadania. No nosso caso especifico a patologia que temos, vem agravar em todas as vertentes o percurso da vida, e por isso temos mesmo de ser mais fortes para enfrentarmos o touro pela frente e poder combatê-lo, apesar de sabermos que ganharemos muitas batalhas, mas provavelmente nunca chegaremos a ganhar a guerra.
Mas a vida é mesmo assim... Contigo aprendi a enfrentar o HIV, apesar de todos os altos e baixos pelos quais vou passando no dia a dia, tentando sempre superar.
Por isso querido Raul, o que tu precisas, respeitando o momento de menos saude que atravessas, é de mimos e de muita atenção. Eu também me sinto assim, sem querer, imploro a tudo e a todos por isso mesmo. Todas as pessoas precisam muito de carinho, e nós, a quem nos foi clarificado que a vida afinal tem um limite, esse carinho por parte dos outros é sempre essencial.
Poderás contar sempre com a minha amizade e colaboração. Infelizmente e como sabes, tenho uma vida profissional muito activa e desgastante, pelo que, nem sempre me posso dedicar de corpo e alma à causa da SIDA e ao SIDADANIA. É a luta pela sobrevivência que impera com que o trabalho esteja em primeiro lugar, infelizmente. E o mundo do trabalho actualmente é, como sabes, devastador, dominado por uma ditadura empresarial em que somos apenas um número facilmente substituivel. No entanto, estarei sempre por aqui e perto de ti, à espera de dias melhores...
Recompoe-te rapaz e não te afastes de todos os verdadeiros amigos que aqui conquistaste, nem abandones todos aqueles que já se habituarem a ter o Raul, como aquele amigo verdadeiro todos os dias. A força interior que me ensinaste a ter, aquando da noticia da infecção, é a força interior que tu também tens, e que apenas precisas de a fazer despertar, para renasceres de novo para a vida. Por tudo isto e até por muito mais, aceita o comentário que este teu amigo aqui te deixa, que insiste em não ser um sidoso, mas sim, um ser humano como tantos outros, que sofre de uma patologia, como tantas outras, e que até e por sorte, não é das que causam sofrimento fisico, desde que, devidamente controlada, como sabes. No próximo dia 10 completo 38 anos e gostaria que me oferecesses o maior presente que eu gostaria de receber, o de te ter de volta ao Sidadania, de corpo e alma, por muitos e longos anos.
Abraço amigo.

Vegana disse...

Ruru, acompanhei-te no início do blog e, apesar de ter deixado de ter intervenção, pelos mais variados motivos, sempre procurei ler os teus posts, mesmo que com atraso. Não é a primeira vez que pensas abandoná-lo e acredito que, tal como aconteceu da vez anterior, estejas num momento de reflexão e mudança.E estas são, quase sempre, para melhor.
Cuida de ti! Eu estou sempre aqui.
Beijos da Tatoo

Fatyly disse...

Não domino o inglês mas só de pensar que há pessoas que dão o seu testemunho indo contra tudo e contra todos em prol de uma sociedade mais justa...é deveras gratificante.

Também concordo contigo quando te referes aos que pura e simplesmente aparecem "para assinar o ponto" como por vezes dizem "vim só aqui para desejar um bfs ou até para publicitar os seus próprios blogues". Ninguém é obrigado a nada, mas há que respeitar o espaço de cada um.

Para te dizer a verdade, e já que a tua sensabilidade poderá ser ocacionalmente afectada pela negativa, faz tudo para que te sintas bem e o que achares melhor para ti. A net é um espaço de lazer e mal daqueles que não sabem doseá-la ficando refães de mil cabos.

Força rapaz, uma pausa é sempre bom, hoje em baixo amanhã em cima e todos que passam por aqui com o espirito que originou este blog, de certeza que serão "as boias salvadoras" para que não afundes. Acredita, porque eu também acredito e todos acreditamos.

As tuas melhoras, dá cá um grande xicoração e como diz a Odele...até ao próximo post:)

alex disse...

Bem me queria parecer que estavas vivo. O meu olfacato raramente me engana. Como já conheço de cor as tuas hibernações, nem sequer comento. Mas se andas assim tão sensivel, NÃO vás ver o meu perfil. Eu gosto de abafar a concorrencia, mas nem tanto. Deixa-te de lérias e mostra-me lá com quantos artigos é que se faz um blog...
As melhoras, caro pupilo.

René disse...

Raul
Não te quero doente nem deprimido. Quero-te com essa força que revoluciona tudo e me faz acreditar na vida e nas soluções do HIV.
És um ser superior na forma como encaras a adversidade e te solidarizas com os outros.
Impressionante o vídeo que postaste.
Aguardo o teu regresso.
Abraço

Abraço

alex disse...

Lolada...."olfacato"???
É realmente um facto que hoje ainda n fumei nada. Sou capaz de me perdoar, só n me perdoo não ter percebido antes o que é k n me estava a cheirar bem. É no que dá em andar a enfiar o nariz onde n se é chamado...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
É simplesmente maravilhoso ler-te e sentir tão activa e próxima essa sensibilidade que tão bem transmites.

Quanto ao nosso Raul eu acho que exigimos demasiado dele pedindo textos, esperando respostas, levando-o a confrontar-se com diferentes opiniões nem sempre fáceis de gerir e digerir.

Espero bem que esta pausa traga de volta um Raul cheio de força porque precisamos dele.

Relativamente ao vídeo posso afirmar que nunca senti tanto a causa da sida como quando o ouvi.

Abraço aos dois, Raul e Paulo

M.M.MENDONÇA disse...

Raul, oh homem, você nunca foi de se ir abaixo e não é agora que vai ser.
Tem força que dá e sobra por mais adversas que sejam as palavras ou as circunstâncias.
Faça lá a pausa e regresse com a determinação com que nos habituou. Estamos à sua espera. Você é uma grande pessoa e tem muito para dar.
Dê cá um abraço e vamos em frente.

Silvia Madureira disse...

Olá:

Aguardo o teu regresso.

Gosto de vir aqui, ler as novidades, aprender com a tua experiência...

Pena que nem todas as pessoas são assim...mas o mundo sempre foi injusto...

É pena este video estar em inglês...no entanto foi visivel na expressão do rapaz bastante força que faz com que se ultrapassem todos os preconceitos...

Tu também tens essa força...eu sei

beijo

MARIA disse...

Caro Raúl,
Gostei muito do testemunho de Cory Norlund.
Achei contudo que ele não terá talvez o perfil comum do portador da doença.
Felizmente foi compreendido e contou sempre com o afecto de familiares e amigos, não parecendo ter sofrido acções de alguma descriminação dolorosa que sofre tantas vezes quem se encontra em tal situação. Em todo o caso é um testemunho de esperança que julgo muito positivo também pela sua capacidade de criar empatia, o que muitas vezes constitui um obstáculo à boa convivência com o doente no dia a dia.
Apesar da perspectiva em que ele aborda a questão e que corresponde à sua vivência , ele tem uma expressão impressionante e muito dolorosa : ainda que queira e apesar do muito que pode fazer, não pode "tirar férias do HIV , deixá-lo um pouco de lado..." enquanto reconstitui forças.
Muitas pessoas, por variados motivos, lidam com a dor como parte integrante da vida delas ou dos que lhe estão próximos.
E ninguém melhor para o compreender.
A dor também nos torna mais fortes, algumas vezes faz de nós melhores pessoas.
Mas não é de exigir a ninguém que seja sempre forte.
Compreendo perfeitamente que até o Raul que é excepcionalmente forte precise de um colo de vez em quando.
Também sou precisamente assim.
Acho que deve gozar desse colo até retemperar forças para prosseguir a luta.
E cá estamos todos nós.
Gostava também que ponderasse sobre esta ideia que formei : creio que quem cá vem, é por querer bem.
Por vezes as palavras traiem os pensamentos e os sentimentos e não dizem bem o que a nossa sensibilidade sobre um tema gostaria de dizer.
As palavras complicam muito as coisas por vezes, mas creia que seguramente aqui tem muitos amigos e muitas pessoas que o estimam, o admiram e lhe querem bem.
Eu admiro-o profundamente. Admiro o que escreve e como pensa, os seus ideais e a sua capacidade de luta.
Acredito que no dia em que a ciência apurar a fórmula para por termo a esta doença ( e creio MESMO que tal dia virá breve) ainda terei aqui o amigo Raul, lutador como sempre, pronto a dividir com os outros as forças e a dor, ainda que de vez em quando, como hoje, sinta necessidade do tal colo...
Um beijinho muito amigo para si e para os demais Autores do Sidadania, designadamente o Paulo que me impressionou com o seu anterior comentário.
Vou espreitando até à sua volta.
Beijinhos.
Maria

Odele Souza disse...

Querido Raul,
Espero que estejas bem. E quero reafirmar que te quero bem.

Tenho passado por aqui para ler os comentários que como sabes, não me escapa nenhum. Quero deixar aqui os meus aplausos para o Paulo, esse menino lindo que escreve tão bonito.

E pra você Raul, deixo aqui o meu carinho de sempre.

Um beijo.