Publicidade ao Tabaco


Em Portugal são diagnosticados 3500 novos casos de cancro do pulmão todos os anos, sendo que mais de metade dos doentes morre em menos de um ano.
Os laboratórios Pfizer, desenvolveram um novo medicamento a Vareniclina, que actua a nivel cerebral bloqueando os receptores para a nicotina fazendo com que a pessoa não sinta os sintomas de privação pela falta do tabaco.
Tem efeitos secundários á semelhança de todos os medicamentos, como náuseas, insónias e pesadelos.
Tecnicamente parece ser um medicamento muito bom, ao contrário do que acontece com pastilhas, inaladores e compressas á venda no mercado para o combate ao Tabagismo.
A Investigação cientifica, vai mais longe e em breve aparecerá uma vacina no mercado destinada a impedir que a nicotina chegue ao cérebro, fazendo com que não haja vontade de fumar e não se crie o hábito do fumo, sendo por isso destinada a fumadores e não fumadores.
Fiquei-me a rir, por esta operação de marketing , pois se não é fumador toma a vacina e não vai certamente apanhar o vicio.
Questiono-me se no caso de se provar que este medicamento é realmente eficaz, se o governo vai pagar este medicamento aos fumadores (que pagam impostos enormes sobre o tabaco), com programas anti tabagismo, á semelhança dos programas de combate à toxico dependência (as drogas não pagam impostos) com a administração de metadona.
Acho que não, pois os actuais medicamentos para o combate ao tabagismo são caríssimos e as consultas de combate ao mesmo parecem não funcionar eficientemente. Creio mesmo que o real interesse é em que se continue a fumar e a proibição de publicidade ao tabaco, e escreverem nos maços que o tabaco mata lentamente, faz perder a tusa etc...etc..., não são mais do que teasers publicitários que têm o efeito de que o fruto proibido é o melhor.
Com tudo isto fiquei a saber que existe uma comissão nacional do tabagismo, o que é extremamente importante no país das comissões.
Concluindo, eu vou deixar de fumar um dia estou certo disso. Se acontecer algum fumador que me leia, um dia passar junto da minha campa, tenha a gentileza de apagar a beata (especialmente se estiver ainda grande) sobre a mesma. O morto agradece.
Até lá vamos continuar com a hipocrisia da proibição do tabaco e com o incentivar ao consumismo de produtos para deixar de fumar que afinal para nada servem, excepto para nos esvaziar mais um pouco a carteira já de si tão penalizada por termos de pagar o tabaco tão caro, quando afinal ele não deveria sequer estar á venda.

2 comentários:

eduardo disse...

Um problema que se quis ser polémico para nos afastar de outros bem mais sérios.
Os gases poluentes também matam e tiram a tusa. As bombas de neutrões e os ensaios nucleares dão cabo do planeta. As descargas das fábricas e os resíduos tóxicos na terra, no mar e nos rios, também.
Fumar? Claro que fumo! Até quando eu quiser e quando quiser. Onde? é que é mais complicado. Pode estar ao meu lado um gajo a inalar o fumo do tubo de escape dum Ford Capri e não seja fumador.

Bom dia, Ru2x

Ru2x disse...

Talvez num futuro breve as salas de chuto,deixem de ser prioridade e as de fumo o venham a ser.
Ou então e como para a procura tem de haver oferta, passem a haver negócios do tipo restaurantes para fumadores, aviões para fumadores e até repartições públicas exclusivamente para os tabaco-dependentes.
O Preço a pagar? Depende dos impostos com que o governo vai taxar esses serviços.
Um abraço