O Destapar do véu...


Perdido por outras estradas, hoje decidi publicar um texto diferente. Um texto fora do tema que originou o nascimento deste blog e de todo o projecto "Sidadania". Há vida para além da vihda, e é necessário conservar essa chama bem acesa. Apenas para dizer aos muitos amigos que por aqui passam que estou vivo e que continuo a escrever. Ando perdido em estradas cruzadas, muitas das quais não estão nos mapas. Entre murais do facebook e blogs fechados, que são armazéns de pensares, a revelar um dia destes em papel impresso, deixo-vos este texto publicado ontem no meu mural do FB.

Hoje prometi a mim mesmo não ligar o computador. Tenho trabalho a efectuar e prontos… o tem de ser tem muita força. Nunca fui pagador de promessas de maneira que lhes dou pouca importância. Mas o trabalho correu bem e o vício da “Droga”, que é o computador, falou mais alto. O facebook e os amigos que tenho, merecem que faça a reflexão do dia.

Dois temas apenas: uma descoberta científica, sobre o trabalhar sentado e o desaire da nossa selecção de futebol. Os temas interligam-se e são deveras interessantes.

Cientistas ingleses fizeram um estudo sobre a distribuição do peso do corpo, quando se trabalha sentado, numa posição de noventa graus. A posição menos nefasta, para o corpo humano, é cento e trinta e cinco graus ou seja quase deitado. Planeiam desenhar novo mobiliário de escritório, colocar teclados suspensos e monitores no tecto. É preciso defender os direitos dos trabalhadores. O ambiente de trabalho, ou em termos futebolísticos “O balneário”, tem de ser agradável, para podermos produzir mais. Sou a favor desta medida, pois basta de escravidão no trabalho. Diga-se de passagem que esta descoberta não é nova para os portugueses. Há muito que queríamos trabalhar deitados, mas não nos deixam.

Sobre a selecção… foi giro depois do jogo. Ver a novela Queirós, Ronaldo e mais uns figurantes como Deco, Hugo Almeida e outros. Meninos birrentos a fazerem queixinhas que o mauzão não os deixou ganhar. O mau, esse, com um sorriso chato de se ver, dizia que o menino estava esgotado. O menino diz que estava bem e queria jogar. O mandão devia ter a cabeça a fervilhar. Talvez pensasse:
-tenho de por o levezinho, que embora pouco futebol jogue tem um jeito do caraças para enfiar as bolas lá dentro.
Prepara o discurso do politicamente correcto:
-Todos devemos estar orgulhosos do que a nossa selecção fez e do esforço dos nossos jogadores… blá blá e pardais ao ninho.
Eu com o meu mau feitio questiono-me se o orgulho deve ser pela mêda que fizeram, julgando-se campeões do mundo, mesmo antes de entrarem em campo. Raios… tínhamos o Ronaldo… como se ele bastasse. Aliás jogou muito bem, parecendo uma barata tonta que se movimentava pelo campo.

Custou-me ver a desilusão dos putos que trabalharam, enquanto outros se pavoneavam pelo campo como estrelas que encandeiam todos à sua volta.
Custou-me ver, o modesto porteiro (guarda-redes) chorar. Evitou que todos os hóspedes indesejáveis entrassem por aquela porta e fez milagres rechaçando-os um a um. Barra a passagem mais uma vez, mas o hóspede repete a investida e lá consegue entrar, destruindo-lhe todos os sonhos.

Concluo a reflexão, enaltecendo as vantagens para o corpo humano em se trabalhar deitado. É preciso criar condições para que isso aconteça. A FIFA tem de ser mais aberta às tecnologias do futuro e criar condições para que se possa jogar futebol deitado. Um dia o sonho de sermos campeões mundiais irá realizar-se. Seremos a selecção que mais bolas metem no buraco. Então gritaremos felizes: é gooooooolo…é gooolo… é golo...

4 comentários:

RaSena disse...

olá, Raul
que saudades!
eu vejo que ser campeão do mundo - para o povo - não faz diferença alguma - é uma grande ilusão!
abraços,

sideny disse...

Olá Raulito

Fique muito feliz que tenhas voltado a escrever:))

Ainda bem que esta tudo bem contigo.

E nâo gosto de futebol.

beijocas

Ps: Nâo desapareças outra vez, ai ai:))

Fatyly disse...

Gostei de ler as tuas noticias e esse estudo é inetressante, já no que toca ao futebol...retiro-me e rio porque uma selecção com grandes "meninos" que jogam lá fora há anos e anos jamais conseguirão fazer uma equipe de trabalho, excepto alguns e pelo que li.

Um abraço e continua nesse teu caminho

Zé "Prisas" Amaral disse...

Passei por aqui para saber de ti.
Vou procurar-te no FB.

Um abraço.