O País das Maravilhas (Serviço de Saúde)

Hoje através de uma pesquisa sobre países seguros fui dar ao país mais seguro do mundo e li uma entrevista de um jogador de futebol que falava sobre o seu país.
A certa altura houve algo que me chamou a atenção e que dizia respeito aos serviços de saúde.
Nesse país não há hospitais nem clínicas privadas, pela simples razão que se abrissem iam todas à falência pois os serviços de saúde públicos são tão bons e gratuitos que ninguém pensaria em pagar para receber melhores cuidados médicos.
Divagando e sonhando pensei que em Portugal poderíamos ter um serviço assim e que uma assistência médica cuidada não teria de ser obrigatoriamente exclusiva dos hospitais privados onde só alguns com capacidade financeira podem usufruir desses serviços.
No decorrer da entrevista continuei admirado da forma como ele falava com paixão de tudo o que havia no seu país e que era maravilhoso, e pensei como era bom eu poder descrever o meus país elogiando as coisas boas que por cá temos.
Creio que seria impossível fazê-lo e se algo tivesse a dizer de bom seria do sol que a natureza nos deu e de algumas belezas naturais que ainda não foram destruidas, pela construção selvagem e a procura de lucros.
Ingrato chamar-me-iam os que com um esforço sobre-humano o tentam governar ou governar-se. Afinal dão-me medicamentos à borla para a SIDA e não pago pelas consultas e ainda me queixo. Permitem-me continuar a viver com os medicamentos que me dão o que em muitos países não acontece.
Este texto, começou a ser escrito e nunca mais foi acabado por falta de tempo. O país é a Islândia se bem estou recordado, mas não tenho absoluta certeza. Resta-me a ilusão de um dia podermos ter algo semelhante, ou pelo menos serviços de saúde dignos sem listas de espera.
Em vez de descartar o texto para o cesto dos papeis e como o tempo não é muito, deixo a quem o ler a divagação de que poderíamos ter melhor assistência médica e apoio social.
Aos que me lêm e estão noutros países deixo à sua consideração o comentarem como é, viverem em países onde o sistema de saúde é muito pior que em Portugal, igual ou muito melhor.
Uma coisa é certa, se houvesse vontade e boa gestão do dinheiro gasto com a saúde certamente estaríamos bem melhor.
Temos o que temos, e segundo o que muitos apregoam cada um tem aquilo que merece. Será?

1 comentário:

Manuela disse...

Sê bem vindo!

De facto, com os mesmos recursos, mas com mais honestidade, boa gestão e sentido de dever público, teríamos melhor serviço de saúde, sem dúvida!

Pois, mas a Islândia é um pouco fria... também quem é que quer ir para lá???!