Troca de seringas nas prisões


Os ministros da saúde e da justiça, aprovaram a troca de seringas nas prisões, seguindo as recomendações de um relatório sobre a prevenção de doenças infecciosas nos estabelecimentos prisionais, atitude que eu louvo.
Admiro-me contudo o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional ter criticado a introdução de caixas de trocas de seringas nas cadeias. Mais admirado fico por a direcção do SNCGP ter-se manifestado contra a troca de seringas admitindo a hipótese de convocar uma greve de protesto.
Tanto quanto sei o argumento para esta posição parece-se centrar no perigo de os guardas poderem ser atacados pelos reclusos munidos de seringas.
Pergunto eu se alguém me puder responder, se não há droga dentro das prisões e se os reclusos não têm seringas para tomarem as suas doses ? No caso da resposta ser afirmativa e das seringas já existirem lá dentro então onde está o risco?
Sou levado a pensar, que haja receio, que a procura seja tão grande, que pela quantidade de seringas trocadas alguém possa ter uma noção da quantidade de droga que é consumida nas prisões, e a eficácia da fiscalização e controlo por parte da guarda prisional da entrada de droga nas cadeias, possa ser posta em causa.

5 comentários:

Anónimo disse...

O que mais me chocou foi a noticia de que um recluso apresentou uma providência cautelar a contestar esta lei, não sei bem se por medo ou estupidez natural. Em que mundo esta gente vive??
Eu sou a favor da distribuição de seringas, seja ela onde for, e que se acabe definitivamente com os falsos moralismos....de uma vez por todas, esconder as coisas não as faz desaparecer

Ru2x disse...

Medo? será que havia razões para isso?
Conveniência, será?
No entanto que é estranho lá isso é, o resto a comunicação social vai concerteza explorar a coisa :)

Anónimo disse...

A comunicação social?

Mas.... mas afinal, tu, com hiv, ainda acreditas na carochinha?????

Hmmm....

rosario

Biby disse...

Não sei se a troca de seringas será assim tão necessário nas prisões! Em primeiro lugar deveria combater-se FORTEMENTE a entrada de droga nas prisões! Segundo aproveitar o facto de estarem presos para se desintoxicarem convenientemente. E terceiro nas prisões é frequente os toxicodependentes mudarem os hábitos de consumo e passam a consumir a droga snifada o que acarreta menos riscos não só de transmissão do VIH mas tambem riscos inerentes á "picada" (infecções, danificam as veias,etc)... e só depois, se tudo isto não desse certo é que introduziria a troca de seringas.
Além disso desconheço estudos crediveis que mostrem sem duvidas que a transmissão do VIH aumentou nas cadeias pela falta de seringas! O que geralmente acontece é que ao entrarem na prisão muitos acabam por fazer o rastreio do VIH e descobrem que são seropositivos!Mas a infecção já vinha com eles!
É a minha opinião...acredito que haja outras.

Ru2x disse...

O problema é mais complexo do que à primeira vista parece.
É um mundo diferente e dificil de compreender para quem nunca lá esteve dentro. Se desejar, um dia destes posso apresentá-la e ex-presidiários para uma aula sobre a realidade prisional.Talvez depois disso possa compreender a realidade desse mundo.De qualquer maneira falta vontade politica para resolver os problemas desta comunidade.A preocupação dos politicos é ficar bem no retrato, não criar conflitos com a comunicação social e pouco mais.